sábado, 16 de fevereiro de 2013

A Longa História dos Filmes de Animação da China

OBS: Artigo publicado originalmente no Animehaus em 30/10/2009.


Este artigo é uma tradução de parte da matéria "Creating an Animation ”Dream“ Factory", escrita por Zhang Xueying para o site "China Today". A equipe do "China Today" gentilmente cedeu os direitos do artigo, permitindo que o ANIMEHAUS fizesse uma tradução do texto, desde que fossem citados o nome do autor e do site, além de um link direto para a matéria do "China Today".

==============================

Criando uma Fábrica de Animação "dos Sonhos"
Por ZHANG XUEYING (CHINA TODAY)


A Longa História dos Filmes de Animação da China.

Princess Iron-Fan
A indústria de animação chinesa começou nos anos 20. Em 1940, Wan Laiming criou o primeiro longa-metragem de animação da China, e o segundo criado em todo o mundo: "Princess Iron-Fan" (Tie Shan Gong Zhu). Antes disto, Walt Disney havia criado o primeiro longa-metragem de animação, "Branca de Neve e os Sete Anões" (Snow White and the Seven Dwarfs). "Princess Iron-Fan" influenciou um artista japonês, Osamu Tezuka, pioneiro da animação no Japão e criador do longa-metragem de animação "Astro Boy" (Tetsuwan Atom).

The Conceited General
Quando Osamu Tezuka visitou o Shanghai Animated Film Studio em 1981, seu único pedido foi para conhecer Wan Laiming, recorda-se Zhang Songlin, antigo vice-presidente do estúdio. "Quando perguntei o porquê, ele respondeu: 'Wan Laiming é meu mestre inspirador'". Isto deu grande motivação aos trabalhadores da animação chinesa.

Por causa da guerra, a produção de filmes de animação foi suspensa por algum tempo, até 1949, quando foi fundada a República Popular da China.

"A primeira onda da animação na China ocorreu ao final dos anos 50 e início dos anos 60," disse Jin Guoping, um pioneiro na indústria de animação da China. Animadores de peso começaram a se concentrar no Shanghai Animated Film Studio, incluindo Wan Laiming, pioneiro da animação na China.

Havoc in Heaven
"The Conceited General" (Jiao’ao de Jiangjun), produzido em 1956, é considerado um marco. "A partir deste filme, as animações chinesas começar a ter estilo próprio, diferente daqueles produzidos nos EUA, na ex-União Soviética e no Leste Europeu," disse Jin Guoping.

O filme mostra um general que venceu muitas batalhas e, em função disto, se tornou arrogante. Ela baixa sua guarda e acaba derrotado. Ele reflete um conceito filosófico tradicional chinês: "Orgulho leva à perda, enquanto a modéstia traz o benefício". As pessoas se impressionaram com a novidade de verem personagens usando roupas e maquiagens da Ópera de Pequim.


The Cowherd's Flute
De 1957 a 1962, Wan Laiming e sete outros animadores criaram em conjunto a famosa animação "Havoc in Heaven" (Da Nao Tian Gong). Desde então, a imagem do Rei Macaco (Sun Wukong) tornou-se popular entre o público chinês, assim como aconteceu com Mickey Mouse na América. "Havoc in Heaven" ganhou prêmios no 13o Festival Internacional de Cinema de Karlovy Vary, na Tchecoslováquia, em 1962, no Festival Internacional de Cinema de Londres, em 1978, e no Festival Internacional de Cinema Infantil de Quito. Em 1983, "Havoc in Heaven" foi exibido em 12 cinemas de Paris. Em um mês, o público chegou a 100 mil espectadores. Jornais franceses chamaram o filme de "uma genuína obra-prima da animação".

Ne Zha Conquers the Dragon King
Neste filme, cinco cores (verde, vermelho, amarelo, branco e preto) são usadas para criar diferentes papéis, como o Rei Macaco, o Imperador de Jade e o Deus da Terra. As imagens são exageradas e com formas bem definidas. "O filme captou o método de expressão dos murais chineses e das pinturas de Ano Novo," disse Zhang Songlin.

Muitos filmes de animação vieram depois, adotando um estilo tradicional chinês, como a série de animação para a TV "Journey to the West" (Hsi Yu Chi / Jornada ao Oeste). Outra importante animação do início dos anos 60 foi "The Cowherd's Flute" (Mu Di). Ele marcou a maturidade da animação chinesa com técnica de aquarela, e depois passou a ser usado como material de ensino nos EUA, tornando-se um filme de demonstração para estudantes americanos. "Eles não compreendem como os artistas chineses conseguiram o efeito de aquarela," disse Jin Guoping.


The Golden King Conquers the Evil
Durante a "Revolução Cultural" (1966-1976), muitos animadores foram forçados a suspender seu trabalho, enquanto a década após 1979 é considerada o segundo renascimento da criação de animações na China. Durante este período, foram criados três longas-metragens de animação, "Ne Zha Conquers the Dragon King" (Ne Zha Nao Hai), "The Golden King Conquers the Evil" (Jin Hou Xiang Yao / Monkey King Conquers the Demon), e "Secrets of the Heavenly Book" (Tian Shu Qi Tan), e foram produzidas as animações com técnicas de aquarela "Deer’s Bell" (Lu Ling), "Snipe-Clam Grapple" (Yu Bang Xiang Zheng) e "Feeling from Mountain and Water" (Shan Shui Qing). Além disto, foram produzidos mais de 200 curtas de animação, representados por "Three Monks" (San Ge He Shang) e "Snow Child" (Xue Hai Zi). "Os trabalhos produzidos neste período eram mais maduros. Houve progresso no desenvolvimento de personagens, organização do enredo e fotografia. Ainda assim, as características chinesas foram mantidas," disse Jin Guoping.

Feeling from Mountain and Water
"Ne Zha Conquers the Dragon King", em particular, é excelente. Neste filme, há mais de 100 tomadas mostrando ondas, todas usando métodos de pintura tradicional chinesa e totalmente diferente do mar mostrado nos filmes de Walt Disney. "Muitos espectadores disseram poder identificar de imediato que as cenas de ondas do mar haviam sido criadas por artistas chineses," disse Jin Guoping. "Muitas pessoas não sabem que 'Ne Zha Conquers the Dragon King' foi o filme da cerimônia de abertura do Festival de Cannes de 1980. Foi a recepção mais cortês já concedida a uma animação chinesa."


Lotus Lantern
Os curtas de animação "Three Monks" e "The Cowherd’s Flute" ganharam prêmios no Festival de Berlim e em Odense, Dinamarca. Estes sucessos internacionais geraram um novo termo: a escola chinesa de animação. "O estilo singular da técnica de papel cortado e pintura de paisagens a diferenciam dos estilos de Hollywood e da Europa," disse Jin Guoping.

No entanto, a situação piorou um pouco desde 1993. A indústria de animação chinesa foi novamente desafiada pelos filmes japoneses e americanos. Um longa-metragem de animação, "Lotus Lantern" (Bao lian deng), de 1999, planejado por Jin Guoping, é a animação chinesa No.1 em termos de bilheteria mas, até o momento, nenhuma animação feita na China conseguiu quebrar o recorde de 25 milhões de yuanes. Por isto, até o momento, o mercado chinês de animação ainda é dominado pelas companhias de animação japonesas e euro-americanas.

(Tradução de Marcelo Reis - webmaster ANIMEHAUS)

Nenhum comentário:

Postar um comentário