terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Comedy (OVA)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 17/09/2006.

Alternativos: Kigeki
Ano: 2000
Diretor: Kazuto Nakazawa
Estúdio: Production I.G. / Studio 4ºC
País: Japão
Episódios: 1
Duração: 10 min
Gênero: Drama / Fantasia / Histórico


Mais um excelente anime produzido e animado pelo Studio 4ºC, ao lado da Production IG, Comedy fez parte de uma série de 4 curtas-metragens chamada "Sweet Punch Series", sendo o terceiro volume da mesma (os outros volumes são "End of the World", "Dan Petory Kyoushu no Yuutsu" e "Higan"). Comedy foi lançado em 2000.

Dirigido por Kazuto Nakazawa, mais conhecido como desenhista de personagens em obras como El Hazard e Samurai Champloo, Comedy já mostra sua originalidade a partir de seu nome, uma vez que, de cômico, este anime não tem nada. Ainda assim, é um título que se justifica plenamente ao final da curta duração da obra (apenas 10 minutos).

É fácil perceber que Comedy não é uma obra como tantas outras quando, logo de cara, somos apresentados a uma imagem soturna de uma árvore retorcida, acompanhada de uma voz masculina que sussurra as seguintes palavras: "O que viu no castelo naquela noite agitada, assim como os fatos de ontem à noite na ponte... a forma como sorri... não conte nada a ninguém. Se falar alguma coisa, lhe encontrarei onde estiver, matarei você, lhe partirei ao meio, esmagarei seus ossos e comerei sua carne. Beberei seu sangue... devorarei você...".

É... e isto se torna mais assustador quando sabemos que tais palavras foram ditas a uma garotinha de apenas 5 anos. Atualmente com 20 anos de idade, esta garota narra uma história ocorrida 15 anos antes, da qual se lembrou após ouvir algumas palavras do sábio de sua cidade.


À época de sua infância, corriam boatos sobre a existência de um Espadachim Negro, o qual provavelmente vivia embrenhado na Floresta Negra, em ruínas conhecidas como "O Castelo do Demônio". Solitário, de cabelos escuros e pele muita pálida, este espadachim parecia ter poderes sobrenaturais e, para completar o estranho perfil, não aceitava pagamentos em dinheiro pelos serviços, mas apenas livros raros de um gênero específico.

Nossa narradora viveu a infância na época em que a Irlanda lutava por sua independência frente à Inglaterra. Antes que as tropas inglesas invadissem sua cidade, ela foge com um livro debaixo do braço e sai à busca do tal Espadachim Negro, na esperança de que ele se interesse por seu livro e possa, assim, salvar sua família e sua vila dos invasores.

Como em outras obras do Studio 4ºC, a forma como a história é contada é mais importante que o enredo em si. A animação, como sempre, dispensa comentários, com uma fluidez de cair o queixo, além do uso de cores em tons suaves que passam a impressão de uma filmagem antiga realizada em um local etéreo. Certas imagens possuem um jogo de sombras tão belo e uma perspectiva tão diferente que parecem ter sido tiradas diretamente de um filme expressionista alemão. Até mesmo as cenas mais violentas, como no momento em que o Espadachim Negro mostra sua força, são feitas com tamanha sensibilidade que chegam a se tornar visualmente poéticas. E as tomadas de câmera, sempre dinâmicas, parecem ter sido feitas com uma filmadora apoiada no ombro, sempre em movimento, na busca do melhor enquadramento.

Praticamente não existem diálogos diretos em Comedy, mas isto não significa que o anime seja mudo. Ocorre apenas uma narração em "off" da garota relembrando os fatos de sua infância, com uma ou outra intervenção direta dos protagonistas durante a narrativa. Praticamente todo o anime se desenrola tendo como pano de fundo musical a belíssima "Ave Maria" de Franz Schubert, uma escolha extremamente acertada que acentua ainda mais o clima melancólico deste anime.



Comedy é uma obra curta e com uma história simples, mas é apresentada de forma tão atraente que acaba entretendo o espectador com muita facilidade. Teoricamente, o estilo não deve sobrepujar o enredo de uma obra, mas o pessoal do Studio 4ºC, de alguma forma, consegue transgredir esta regra sem que o público tenha a sensação de estar sendo passado para trás. No caso de Comedy, dá vontade de assisti-lo por várias e várias vezes para apreciar cada detalhe novamente.


E fica a dúvida: agora que a garotinha contou sua história ao mundo, o que teria acontecido com ela? Mistério...


Marcelo Reis


Nenhum comentário:

Postar um comentário