quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Dragon Half (OVA)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 05/07/2003

Ano: 1993
Diretor: Sachiko Kobayashi
Estúdio: Victor Entertainment / Kadokawa Shoten
País: Japão
Episódios: 2
Duração: 30 min
Gênero: Comédia / Fantasia



Sua vida está muito triste? Anda cheio de problemas, com a cabeça quente, querendo se jogar do penhasco? Calma, existe uma solução para (quase) tudo, por mais difícil que pareça a situação. Basta respirar fundo, esfriar a cabeça e... erm... assistir a Dragon Half! ^__^

Constantemente citado como "o anime mais engraçado de todos os tempos", Dragon Half consegue despejar uma quantidade inimaginável de piadas e gozações visuais, em apenas 2 OVA´s de 25 minutos, e é uma excelente opção para os depressivos e suicidas de plantão. Mesmo que este não seja o seu caso, Dragon Half continua sendo recomendado, pois funciona como um ótimo estimulante cardíaco, além de desopilar o fígado com eficiência ímpar! ^__^

Baseado no mangá de Ryuusuke Mita, Dragon Half foi produzido em 1993 pela Victor Entertainment e Kadokawa Shoten, e conta a história de Mink, uma garota com um belo rostinho, um corpo bem delineado, belos cabelos vermelhos e... um par de chifres e um rabo de dragão!? Sim, e por que não? Nada mais normal, se levarmos em conta que ela é filha de um espadachim, o lendário Ruth "Relâmpago Vermelho", e um dragão-fêmea (!!) que consegue se transformar numa bela mulher (!!!). No passado, Ruth foi encarregado de matar este dragão, mas acabaram se apaixonando, casaram-se, e de seu inusitado amor nasceu Mink. Por ter falhado em sua missão, Ruth despertou a ira do Rei, agora sedento por vingança!


Como qualquer adolescente com os hormônios à flor da pele, Mink é completamente apaixonada por um ídolo pop, ninguém menos que Dick Saucer, um "temível" caçador de dragões que "canta como um anjo" (AGGHKKK!!) e "luta como um demônio" (AGGGHHKKK!!). Mink faria qualquer coisa para ter a oportunidade de assistir a um concerto de seu ídolo, mas o preço abusivo dos ingressos parece ser um entrave intransponível... ou será que não? A entrada em cena do maligno e ridículo Rosario, "poderoso" mago e seguidor fiel do Rei, pode mudar o rumo dos acontecimentos.

Com um fiapinho de história, Dragon Half confia no seu humor insano, repleto de "gags" visuais hilárias, e no carisma de seus personagens imbecis para conquistar o público, e consegue atingir o objetivo com louvor! A alternância entre desenho tradicional e SD (Super-Deform) acontece o tempo todo, sem aviso prévio, mesmo nas cenas que, teoricamente, deveriam ser mais dramáticas... não dá para segurar o riso, mesmo!

Além disto, como controlar as gargalhadas frente a personagens como Daimaramu, o ridículo guerreiro com voz de trovão que se acha o máximo, ou seu dragão Roshi, cujo grito esganiçado não assustaria nem mesmo uma formiga? O que dizer da "bela" voz de Dick Saucer, cantando "Saaaaauceeer"? E não dá para esquecer de momentos antológicos, como a história dos "Slimes", o Torneio de Artes Marciais "Assassino Brutal" ou a fantástica música de encerramento Watashi no Tamagoyaki (Meu Omelete)!! ^___^

Se existe um problema com Dragon Half, este diz respeito à sua curta duração e à ausência de final, que deixa o espectador com aquele amargo gostinho de "quero mais". Por alguma razão inexplicada, um terceiro OVA não foi produzido, apesar da popularidade do mangá e do sucesso dos OVA´s. Dizem as más línguas que alguns dos responsáveis pelos OVA´s foram presos, por uso e porte de drogas. Levando-se em conta o alto grau de insanidade presente em Dragon Half, pode ser que este boato tenha mesmo um fundo de verdade. ^__^"



Se você procura um anime com uma história pungente e profunda, que possa mudar a sua percepção em relação ao mundo à sua volta, fuja de Dragon Half! Ele é idiota até a última gota, e não faz questão de esconder isto em momento algum. Em compensação, se está precisando desligar o cérebro e rir até molhar as calças, não perca tempo e assista a Dragon Half imediatamente! ^__^


Marcelo Reis


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário