quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Figure 17: Tsubasa & Hikaru (TV)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 05/07/2003.

Ano: 2001
Diretor: Naohito Takahashi
Estúdio: OLM / Genco
País: Japão
Episódios: 13
Duração: 46 min
Gênero: Drama / Sci-Fi



Série produzida nos anos de 2001 e 2002 pelo estúdio Genco, Figure 17 possui uma característica que, logo de cara, a distingue da maioria das produções para a TV. Ao invés de seguir a tradicional fórmula de episódios semanais com 25 minutos cada, Figure 17 apostou num formato ambicioso, com episódios mensais de 46 minutos, permitindo que a história dentro de cada um fosse trabalhada com mais tranqüilidade, sem atropelos. Além disto, a conseqüente redução no número de episódios e o aumento do tempo disponível para a finalização de cada capítulo fez com que a qualidade da animação fosse soberba em todos os momentos.

Mas, afinal, do que se trata a história deste anime? Figure 17 conta a história de Shiina Tsubasa, uma tímida garota de Tokyo que, em função do trabalho de seu pai, precisa mudar-se para uma pequena cidade na ilha de Hokkaido. A mudança forçada e inesperada traz grandes mudanças à vida de Tsubasa... a saudade dos antigos amigos, a vida campestre no clima frio de Hokkaido, a discriminação de alguns colegas de sala, tudo isto dificulta ainda mais a adaptação da sempre recatada Tsubasa à sua nova realidade. Por ter perdido a mãe logo após seu nascimento, Tsubasa sempre viveu sozinha com seu pai, Hideo, um homem ponderado e apaixonado pela filha, mas que dificilmente consegue ficar em sua companhia por muito tempo, em função do trabalho. Não é difícil perceber que a nova vida de Tsubasa é marcada pelo constante sentimento de solidão e abandono...

As coisas mudam quando Tsubasa vê, da janela do quarto, um enorme clarão ao longe. Seu cão, Tenmaru, corre em direção ao clarão e Tsubasa, apavorada com a situação, sai em sua perseguição, para evitar que alguma tragédia aconteça. A razão para o clarão é logo explicada: uma nave alienígena acaba de cair na Terra, após problemas de navegação no hiperespaço, e traz em seu interior, além de um tripulante ferido, uma terrível carga: ovos de uma temível criatura espacial chamada Magyua. Seis ovos de Magyua acabam se espalhando pela região, durante a queda, e devem ser capturados a todo custo. Do contrário, toda a vida existente na Terra corre grande perigo.

Neste local, Tsubasa tem contato com Riberus, um metal que se combina telepaticamente com a mente humana e protege o corpo físico da pessoa com a qual se liga. A união do Riberus com um ser humano resulta na formação do Figure, um ser com enorme capacidade para lutar contra os Magyuas. Um destes Riberus acaba protegendo a vida de Tsubasa mas, por alguma razão, não volta à sua forma original após se separar da garota. Ao invés disto, este Riberus adquire a mesma forma física de Tsubasa, mas com uma mentalidade mais vívida e expansiva... Hikaru é seu nome.

A partir daí, a história de Figure 17 se desenvolve, ora focalizando a amizade crescente entre Hikaru e Tsubasa, ora focalizando a luta contra os Magyuas, liderada por D.D., o tripulante ferido, possuidor de uma discreta cabeleira esverdeada! ^_^




Um contraste interessante no tocante ao incrível visual de Figure 17 diz respeito à forma de animação escolhida pelo estúdio OLM (responsáveis pelo fantástico Berserk). Apesar de ser uma série repleta de idéias inovadoras, sobretudo em relação aos modernos dispositivos utilizados por D.D., Figure 17 não abusa dos efeitos de computação. Na maior parte do tempo, foi utilizada uma técnica mais tradicional de animação, com a computação gráfica aparecendo apenas quando estritamente necessária. Esta mistura entre tradição e tecnologia resultou em uma série com um visual muito agradável. O desenho de personagens é ótimo, e Tsubasa e Hikaru estão entre as personagens mais lindas já criadas em um anime, com olhos extremamente expressivos e traços harmônicos. Apesar de quase idênticas, é possível identificar facilmente quem é quem, através de pequenas diferenças no penteado ou nas expressões faciais de cada uma.

Figure 17 possui excelentes personagens, com comportamentos que raramente resvalam nos clichês. Seu pai, apesar do cansaço e do excesso de trabalho, não se descuida de Tsubasa em nenhum momento, se preocupando com o fato de que, talvez, a ausência da figura materna possa estar deixando alguma lacuna emocional em aberto no coração de sua filha. Do lado dos alienígenas, D.D. e Ordina, uma mulher que chega para auxiliar na captura dos Magyuas, não dão um sorriso sequer ao longo da série, mas isto não quer dizer que eles sejam chatos ou pedantes. No caso, por serem de uma sociedade extremamente tecnológica, ambos parecem ter as emoções levemente bloqueadas. A convivência com os humanos, especialmente Tsubasa, vai quebrando aos poucos o "gelo" que existe dentro deles... ainda assim, nada de sorrisos! ^__^ E, numa espécie de trama paralela, temos ainda Kuroda, um repórter que inicia uma investigação sobre os estranhos eventos que começam a aparecer em Hokkaido, após a noite do misterioso "clarão".

Ainda sobre os personagens, os colegas de escola de Tsubasa também são muito interessantes. Hagiwara é um garoto meio destemperado e de cara fechada, mas com um enorme coração. Noriko e Asuka são duas amigas que acabam se aproximando de Tsubasa, inserindo-a dentro de seu grupo e ajudando-a a vencer vários de seus medos. Temos ainda Shou, um garoto proibido de fazer exercícios físicos, em função de problemas de saúde, mas que não se abala com a situação e está sempre com o espírito alegre.

Mas o que seria desta série fantástica sem Tsubasa e Hikaru? Desde o primeiro instante, a empatia entre as duas é imediata e, o mais importante, não é forçada. Hikaru, com seu temperamento expansivo e visceral, procura ajudar Tsubasa a vencer os bloqueios causados por sua timidez e pelo complexo de inferioridade. Tsubasa, por outro lado, retribui a ajuda de Hikaru com a amizade e a confiança irrestrita em sua nova companheira. O relacionamento entre as duas garotas é rico, convincente e emocionante.

Ah, já estava me esquecendo! A música de abertura, "Boy", cantada por The Alfee, é demais! Vale a pena assistir à introdução de cada um dos 13 episódios, só para ter a chance de escutá-la novamente! ^__^

Um ponto que desagrada em Figure 17 diz respeito às batalhas contra os Magyuas. Apesar de movimentadas e bem produzidas, elas não acrescentam nada à história. A impressão que se tem é que os alienígenas existem apenas para explicar a origem de Hikaru. Figure 17 é uma série excepcional, mas seria ainda melhor se fosse mais focalizada no relacionamento entre Tsubasa e Hikaru.

Ainda do lado negativo, Tsubasa é uma personagem às vezes irritante, em função de seu comportamento "à la" Shinji Ikari (Evangelion), sempre dizendo que não pode fazer isto, que não tem capacidade para aquilo, etc. A vantagem de Tsubasa é que ela, pelo menos, tem a intenção de mudar e crescer, enfrentando seus problemas de frente, ao contrário de Shinji, que é uma "mosca-morta".



Apesar destes pequenos problemas, e de uma certa queda no ritmo em alguns episódios, Figure 17 é um anime altamente recomendado, que emociona sem apelar para o dramalhão, diverte sem se utilizar de situações ridículas, possui um excelente final e ainda nos traz, de quebra, uma das mais cativantes duplas do universo dos animes: Tsubasa & Hikaru.


Marcelo Reis


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário