sábado, 16 de fevereiro de 2013

Trava (OVA)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 21/04/2011.

Alternativos: Trava - Fist Planet
Ano: 2003
Diretor: Katsuhito Ishii, Takeshi Koike
Estúdio: Madhouse
País: Japão
Episódios: 4
Duração: 10 min
Gênero: Aventura / Comédia / Sci-Fi



O visual com poucas cores chapadas e combinadas de forma esdrúxula, o desenho de personagens estranho e de traços distorcidos, a animação ensandencida e o forte contraste das imagens usados em "Trava" são características típicas das obras do diretor Takeshi Koike. Para quem não associa o nome à obra, ele foi o diretor do curta "World Record" em "Animatrix", além do aguardadíssimo longa-metragem "Redline", por enquanto  exibido apenas em festivais de animação e em poucas sessões ao redor do mundo. Mas verdade seja dita, Koike não é o único responsável pelas pirações em "Trava", uma vez que este anime é co-dirigido e roteirizado por Katsuhito Ishii, diretor das animações experimentais "Piroppo" e "Hal & Bones", entre outras, mas que é mais conhecido por seus trabalhos em filmes "live-action", como "Party 7" e o excepcional e bizarro "The Taste of Tea".

O enredo é um fiapo: Travastita Anister, ou simplesmente Trava, é um ás da aviação, o maior piloto da Força Aérea em sua época mas que acabou sendo dispensado do serviço militar. Com um corpo compridão e desproporcional e orelhas caídas semelhantes às de uma lebre, Trava viaja pelo universo com a missão de marcar planetas ainda não visitados após uma grande guerra ocorrida no passado, além de tentar resgatar possíveis sobreviventes enclausurados em "pods" espalhados por todo o espaço sideral. Trava está sempre acompanhado do co-piloto Shinkai, seu mecânico dos tempos da Força Aérea que acabou acompanhando o parceiro após sua dispensa. Shinkai é conhecido apenas pelo apelido, já que seu nome é simplesmente impronunciável. É um ser vermelho muito estranho, que parece uma mistura de pato, peixe e caveira, possui visão de raio-x e toma alto tapões na cabeça o tempo todo. Trava não pára de pegar no seu pé, tirando onda com o fato do parceiro ser feio, careca e não ter namorada.

A viagem de mapeamento do planeta Fable parecia apenas uma escala bem paga antes da dupla embarcar para o planeta Fist, onde ocorre um tradicional combate de naves, evento idiota mas que paga uma quantia considerável aos vencedores. Mas a descoberta de um "pod" com uma sobrevivente é o estopim para uma série de eventos estranhos em Fable, com direito a brilhos quase celestiais, máquinas que se autoconsertam e feridas que se fecham sozinhas, além de seres, objetos e eventos do passado que podem trazer (ou não) alguma luz à mente dos personagens e do espectador.


"Trava" também é conhecido como "Trava - Fist Planet", e os 4 OVAs em conjunto são chamados de "episódio 1", como se esta pequena série fosse apenas o pontapé inicial para algo maior. Detalhe interessante é que, apesar do nome, o planeta Fist nunca chega a aparecer. A impressão é que "Trava" não chegou a fazer muito sucesso, e os produtores preferiram não investir mais em futuros OVAs, deixando a história em aberto.

Bom, como foi dito no início, a história não tem nada de mais. Um monte de coisas são citadas ao longo da série (guerra no passado, armas pensantes que foram banidas, um gênio do mal chamado Nakagawa) mas, no fim das contas, tudo é resolvido de forma meio apressada e até brochante, por assim dizer. Quem começar a assistir "Trava" em busca de algum conteúdo, certamente se decepcionará ao final. Mas se a pessoa está atrás apenas de uma animação hilária, enlouquecida e de alto nível técnico, aí a história é outra.

Produção da "Madhouse" e "Grasshoppa!" é garantia de excelência técnica, sempre. Com aproximadamente 40min no total, a animação de "Trava" é sensacional, com um monte de tomadas de câmera incomuns, imagens distorcidas e muita, mas muita ação. As brigas constantes entre Trava e Shinkai são muito engraçadas, e a trilha sonora eletrônica repleta de gritinhos se casa muito bem com a piração que rola na tela. Se fosse possível resumir "Trava" em um palavra, esta seria "desesperadaço". E olha que nem comentei do personagem Reiter, mas prefiro deixar a surpresa para quem for assistir ao anime.



"Trava" é aquele típico anime divertido, que realmente entretém o espectador mas que acaba não ficando na cabeça depois que chega ao final. É sempre legal assistir algo piradaço e que não deixa o ritmo cair em nenhum momento, mas um caso como o de "Trava" é complicado, pois além da história em si já ser chinfrim, ela ainda fica totalmente no ar ao final, nem mesmo mostrando o tal planeta Fist citado no nome original. Mas podem assistir sem medo, pois ainda que fique uma certa sensação de que faltou algo, a diversão é garantida.


Marcelo Reis


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário