quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Otaku no Video (OVA)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 10/05/2003.

Ano: 1991
Diretor: Takeshi Mori
Estúdio: Gainax
País: Japão
Episódios: 2
Duração: 50 min
Gênero: Comédia / Drama / Histórico / "Mockumentário"


O nome desta estranha obra da Gainax, produzida em 1991 e composta por 2 OVA´s, já explica exatamente qual é a sua essência... o Vídeo do Otaku! Se, nos países ocidentais, o termo "otaku" é uma maneira carinhosa de se referir aos fãs de animes, no Japão a história é diferente. Por lá, "otaku" é utilizada em sua acepção mais ampla, "fanático", daqueles que possuem uma devoção quase religiosa pelo objeto de adoração... não só animes e seus personagens, mas qualquer coisa: brinquedos, armas de guerra, pessoas famosas, imagens pornográficas.

Otaku no Video é um espécie de anime documental. Além da história que se desenrola na forma de uma animação tradicional, Otaku no Video possui ainda vários depoimentos feitos por pessoas reais, focalizando os vários tipos de "otakus" existentes no Japão.

A história do anime começa em 1982 e gira em torno da vida de Kubo, um comunicativo e atraente estudante com um promissor futuro como jogador de tênis. Kubo leva uma vida tranqüila, cumprindo à risca suas obrigações e participando dos festivais da escola, como qualquer estudante japonês responsável. As coisas começam a tomar um novo rumo quando Kubo se encontra por acaso com Tanaka, um amigo de quem não tinha notícias há muito tempo. "Otaku" até a alma, Tanaka começa a mostrar um novo mundo a Kubo, no qual não existem limites para a fantasia e a imaginação: o mundo dos animes!


A jornada de Kubo, Tanaka e seus companheiros "otakus", hilária e surreal, é também uma verdadeira aula sobre animes. Além de demonstrar técnicas utilizadas na criação de animes e explicar o sentido de vários termos comumente usados (Cosplay, Garage Kits, Doujinshi, etc...), Otaku no Video mostra como alguns eventos em especial foram essenciais para a explosão dos animes em todo o mundo: a estréia de Näusicaä nos cinemas japoneses (1984); o investimento pesado de bancos e grandes corporações japonesas nas produções animadas, transformando o universo dos animes em um negócio muito atraente; e, claro, a explosão dos animes dentro dos EUA, que abriu de vez as portas do mercado ocidental para esta tradicional forma de arte japonesa. A animação se beneficia da conhecida capacidade técnica da Gainax, apesar de um certo exagero no uso de imagens paradas.

No entanto, é inegável que são os pequenos depoimentos com pessoas reais - na verdade, um "mockumentary" - o real atrativo de Otaku no Video. Com o sugestivo nome "Retratos de um Otaku", estes impressionantes relatos mostram como o fanatismo exacerbado pode levar as pessoas a comportamentos doentios, perdendo a noção entre o que é realidade ou fantasia e praticamente abdicando da vida em sociedade.

No geral, os "otakus" patológicos apresentam algumas características semelhantes:

- São pessoas que não conseguem terminar o que começam;
- Fixação em possuir uma coleção perfeita, mesmo que não façam uso prático da mesma;
- Mania de imitar personagens em conversas corriqueiras;
- Costumam falar sozinhos, numa espécie de autismo;
- Dificuldade de relacionamento com outras pessoas.
- Normalmente não namoram e se fixam em algumas forma de fantasia (hentais, bonecas) para aliviar os desejos;
- Costumam ser sedentários, gordos e meio preguiçosos.



Por incrível que pareça, Otaku no Video é uma obra que demonstra a paixão irrestrita da Gainax pelo mundo dos animes. No caso, Otaku no Video deve ser encarado como uma espécie de alerta: os animes, assim como os mangás ou qualquer outro tipo de hobby, devem ser encarados como um tempero para a vida, e não como a vida em si. Equilíbrio é a alma do negócio! ^_^


Marcelo Reis


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário