sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Saber Marionette J (TV)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 01/01/2004.

Alternativos: Garotas Marionetes
Ano: 1996
Diretor: Masami Shimoda
Estúdio: HAL Film Maker / Studio Junio
País: Japão
Episódios: 25
Duração: 30 min
Gênero: Aventura / Comédia / Drama


Saber Marionette J é uma série que trilha o mesmo caminho de Martian Successor Nadesico: na maior parte do tempo, os episódios são inundados por cenas de humor cáustico e repletas de "gags" impagáveis mas, aos poucos, a história vai ganhando tons melancólicos e mais dramáticos. Composta por 25 episódios e exibida na TV japonesa em 1996, Saber Marionette J se tornou um imenso sucesso dentro e fora do Japão, e deu origem a duas continuações ("Saber Marionette J Again" e "Saber Marionette J to X"), além de um jogo 3D de luta para o PSX (Saber Marionette J Battle Sabers).

Otaru Mamiya é o nome de nosso herói nesta história pitoresca. Bom de briga e com uma boca-suja "admirável", Otaru é um morador de Japoness (!!), um país situado em Terra II, planeta que sofre com as constantes tempestades de plasma (cargas de super-energia) e cuja população é composta apenas por indivíduos do sexo masculino. 300 anos antes, a nave de colonização interestelar "Mesopotamia" sofreu um acidente, e confinou na superfície de Terra II seus 6 únicos sobreviventes: cientistas renomados, nenhum deles do sexo feminino. Para garantir a perpetuação da espécie humana, estes cientistas fizeram clones humanos a partir de sua próprias células mas, por alguma razão, os clones femininos não vingaram. Por isto a população de Terra II permaneceu 100% masculina.

Para compensar a ausência da figura feminina, os cientistas desenvolveram marionetes com aparência idêntica à das mulheres, mas que não apresentavam o menor sinal de emoção. Estas marionetes se mostraram úteis para a realização de trabalhos normalmente destinados aos humanos, mas como substitutas das mulheres se mostraram um verdadeiro fracasso. Isto até que nosso amigo Otaru conhecesse, das maneiras mais inesperadas, três marionetes que causariam um verdadeiro terremoto em Japoness. Seus nomes: Lime, Cherry e Bloodberry, as tais "Saber Marionettes J" que dão nome à série. Dotadas de um dispositivo especial chamado "Circuito da Donzela", estas marionetes são capazes de produzir e controlar emoções, como qualquer ser humano, além de possuírem uma invejável capacidade de combate. Quem criou estas marionetes especiais, e com que intuito? Estariam elas envolvidas de alguma maneira na provável guerra a ser travada entre Japoness e Gartlant, país com um poderoso exército e controlado com mãos de ferro pelo impiedoso Faust? E seria o pobre Otaru capaz de sobreviver às investidas destas poderosas e engraçadíssimas marionetes?? ^__^


Apesar do tema relativamente batido (andróides com capacidade de sentir e sofrer), Saber Marionette J (ou SMJ, para simplificar) consegue a proeza de contar esta história de forma original, a começar pelo interessante ambiente em que se passa o anime, uma mistura de Japão Feudal com uma sociedade super tecnológica. Merece destaque também o enfoque dado à relação entre Otaru e as marionetes: elas ficam doidinhas por ele e fazem de tudo para agradá-lo (como sempre acontece em animes) mas, ao contrário do que ocorre em outras séries, não são nada submissas e, inovação suprema, são elas quem protegem o pobre Otaru, e não o contrário! ^__^ E isto acontece também com a segurança de Japoness em geral: um país de homens é protegido por um exército de marionetes femininas, comandadas pelas belas e eficientes Baiko e Tamasaburo. Um anime em que as mulheres são responsáveis pela proteção dos homens e arrebentam com os inimigos não pode ser deixado de lado, certo?

Como foi dito no início, um dos grandes trunfos de SMJ é a mistura equilibrada entre comédia e drama. A princípio, a série parece ser apenas um anime MUITO engraçado, mas a história vai se desenvolvendo num ritmo impecável e sem buracos no roteiro: praticamente todo pequeno detalhe que aparece ao longo da série terá reflexos importantes no final, deixando a história bem fechadinha e, por isto mesmo, convincente. É difícil segurar as gargalhadas em momentos como o surgimento do Japonessgar ou o concurso de marionetes, assim como é quase impossível controlar as lágrimas com as dificuldades das marionetes em lidar com as emoções.

Mesmo com uma história tão boa, SMJ não teria metade da força e do charme sem os personagens fantásticos! Otaru é um protagonista muito legal, que cuida de suas marionetes com carinho, como se elas fossem realmente humanas. Lime é a mais infantil e engraçada das 3 marionetes, enquanto Cherry possui uma personalidade mais "mãezona" e romântica, além de ser o lado mais analítico do trio. Já Bloodberry é avançadinha e insinuante, e gosta de resolver as coisas da forma mais prática possível. Todas tem uma coisa em comum: são loucas por Otaru! ^_^ Não podemos nos esquecer de Faust e suas 3 Saber Dolls (Panther, Tiger e Luchs): apesar de parecerem apenas vilões destruidores e sem coração, este grupo possui todas as razões do mundo para agir de forma tão agressiva.

Mas falar de SMJ sem comentar sobre Mitsurugi Hanagata seria um crime! ^___^ Primeiro, porque Hanagata é um personagem "gay" assumido e afetado, que expressa abertamente o seu amor por Otaru das formas mais hilárias já imaginadas! Segundo, porque em meio a um time de "seiyuus" talentosíssimos, como Megumi Hayashibara e Hikaru Midorikawa, Hanagata foi beneficiado pela atuação antológica de Takehito Koyasu. Quem se acostumou com a voz grave e imponente de Koyasu em personagens como Kiryuu Touga (Shoujo Kakume Utena) ou Fujimiya Aya (Weiss Kreuz) ficará surpreso com a sua versatilidade na dublagem do engraçadíssimo Hanagata.



Com uma animação de ótima qualidade, excelente desenho de personagens e uma trilha sonora eletrônica agradável, SMJ peca apenas por ser muito manipulador em alguns momentos, com situações forçadas feitas apenas para criar dramas desnecessários. Com tantas qualidades e apenas este pequeno problema, é fácil perceber que SMJ é uma série obrigatória, indicada para quem quiser rir ou se emocionar a valer. Não deixem de conferir!

OBS: Ao contrário do que muita gente imagina, Saber Marionette J não foi a primeira série a contar as aventuras de Lime, Cherry e Bloodberry. SMJ dá seqüência à fraquinha série de OVA´s "Saber Marionette R", que fala sobre o surgimento das 3 marionetes.


Marcelo Reis


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário