sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Seikai no Senki II (TV)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 25/12/2002.

Alternativos: Banner of the Stars II, Battle Flag of the Stars II
Ano: 2001
Diretor: Yasuchika Nagaoka
Estúdio: Sunrise
País: Japão
Episódios: 10
Duração: 25 min
Gênero: Drama / Romance / Sci-Fi


Buscando reconquistar o controle dos territórios isolados após a batalha de Aputtiku, o Império Abh coloca em ação a Operação Hunter. Com menos batalhas em curso e a necessidade urgente de colocar governantes ligados ao Império Abh em territórios outrora liderados pela Aliança das Nações, alguns combatentes da batalha de Aputtiku passam a desempenhar atividades administrativas nestes territórios. Lafiel é designada como líder substituta no planeta Robnasr II, e Jinto é seu auxiliar mais próximo. Robnasr II é um planeta atípico, que não possui um primeiro-ministro, e sua liderança é disputada por 4 facções diferentes. Caberá a Jinto e Lafiel a tarefa de controlar os ânimos em Robnasr II, evitando a eclosão de uma sangrenta guerra civil entre seus habitantes.

Baseado na terceira novela escrita pelo fantástico Hiroyuki Morioka (após Seikai no Monshou e Seikai no Senki), Seikai no Senki II foi transposto para o universo dos animes pela mesma equipe responsável pelas séries anteriores (leia-se Sunrise e Bandai Visual). Contando com a direção segura de Yasuchika Nagaoka, Seikai no Senki II possui um visual ainda mais incrível que seus predecessores. O formato de imagem 16:9 Widescreen se mostrou perfeito para a grandiosidade da história e dos cenários. Além disto, por ser uma série mais curta, de apenas 10 episódios, foi possível caprichar ainda mais na qualidade da animação, que já era impecável.


O tom adotado em Seikai no Senki II é mais adulto, e chega a ser chocante em algumas partes. Ao contrário das séries anteriores, mais centradas nas batalhas espaciais, a história de Seikai no Senki II é quase inteiramente voltada ao que acontece em solo firme, no caso, o planeta Robnasr II. Novos personagens são introduzidos à história, como Georu Meidein, administrador de Robnasr II, e Mike Angusson, fanático representante de uma das facções que lutam pelo poder, todos com um histórico complexo por trás de suas personalidades. As táticas de guerra, logicamente, continuam impecáveis, e os diálogos, fabulosos como sempre. Alguns fatos interessantes ocorrem ao longo da série, como a explicação do motivo pelo qual os Abriel não choram e a definição do que é o "Inferno dos Abhs". Samson, Ekriel e Sobarsh também marcam presença em Seikai no Senki II, para alegria dos fãs da nave Barsroil.

Conversa vai, conversa vem, e vocês devem estar se perguntando "Tudo bem, mas e Jinto e Lafiel?!". Calma, o melhor sempre fica pro final! ^_^ Um fato interessante ocorre em Seikai no Senki II: Jinto e Lafiel passam a maior parte da história separados, mas a distância e a sensação de perigo constante faz com que a ligação e os sentimentos entre ambos fiquem cada vez mais intensos e, enfim, mais passionais. Algumas cenas entre os dois são de partir o coração...

Apesar de ter menos ação que as séries anteriores, Seikai no Senki II é, de longe, a mais emocionante, pois é basicamente focada nos relacionamentos interpessoais, alguns deles de grande carga dramática. Preste muita atenção à maravilhosa seqüência inicial do primeiro episódio, constantemente citada ao longo de toda a série. O final é fantástico, e é impossível segurar as lágrimas quando a história termina.



Palavras não são suficientes para recomendar Seikai no Senki II com justiça. Não é à toa que os fãs aguardam ansiosamente pelo anime de Seikai no Senki III, livro lançado em 2001 que finaliza esta saga monumental. Saga esta que se tornou a preferida de milhares de pessoas ao redor do mundo, incluindo este que escreve estas linhas! ^_^

OBS: Mais uma vez, não parem antes dos créditos finais do último episódio acabarem! ^_^


Marcelo Reis


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário