sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Shinesman (OVA)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 22/01/2006.

Alternativos: The Special Duty Combat Unit Shinesman, Tokumu Sentai Shinesman
Ano: 1996
Diretor: Shinya Sadamitsu
Estúdio: ANIMATE / Production I.G.
País: Japão
Episódios: 2
Duração: 25 min
Gênero: Comédia / Sci-Fi


Apesar de ser um fã de "tokusatsus" e "sentais", especialmente de séries clássicas como Spectreman e Ultra Seven, não dá para negar que obras destes gêneros são um prato cheio para os satíricos de plantão. Atores canastrões, roupas desusadas, lutas ridículas, coreografias e diálogos ensaiadinhos antes de algum ataque fulminante, maquetes toscas e fantasias de borracha... tudo é muito divertido, mas como resistir à tentação de dar aquela escrachada em um gênero tão "kitsch"? Séries de "sentais" e "tokusatsus" parecem clamar aos céus para serem detonadas sem dó nem piedade.

Baseada no mangá de Kaimu Tachibana, Shinesman é uma série curtinha (apenas 2 OVAs de 25 minutos) que realiza muito bem esta função detonante e ainda aproveita para dar uma bela cutucada em outra característica bem típica do "Japanese Way of Life", que é a devoção quase espiritual dos funcionários às empresas onde trabalham.

Em uma grande cidade japonesa, um monstro gigantesco começa a roubar prédios (!!). Tudo isto é obra de alienígenas vindos do Planeta Voice, ansiosos para roubarem os recursos naturais da Terra. Para atingir este intento, os invasores não apenas criaram monstros destruidores de empresas da Terra (!!!) mas, ainda, se disfarçaram de trabalhadores terráqueos com a intenção de obter o controle da exploração destes recursos naturais.

Para proteger a Terra da ação destes assustadores meliantes, entra em ação o Esquadrão Shinesman! Também conhecido como "Special Duty Combat Unit", o Esquadrão Shinesman é formado por funcionários de carreira de uma determinada empresa, os quais se tornaram membros do grupo para tirarem uma graninha extra no final do mês. Os 5 membros do Shinesman são controlados por Kyoko Sakakibara, chefe de Recursos Humanos e que parece ter alguns parafusos a menos na cabeça. Resta saber como todo este confronto acontecerá ao longo do tempo, já que, em termos de parafusos a menos, os alienígenas também estão muito bem servidos, a começar pela realeza do Planeta Voice e o monstrão Karamool. Terráqueos, podem começar a rezar, pois o futuro não parece nada promissor!


Como todo bom "sentai", Shinesman possui todas aquelas características desusadas e, por isto mesmo, adoradas deste gênero tão cultuado, a começar pelo tema de abertura "Shine / Shinesman", cantado pelo rei dos "tokusatsus" e "sentais", Hironobu Kageyama. Uniformes com cores tão "inspiradoras" quanto cinza e rosa-salmão, uma super-transformação de cair o queixo e, para completar, imagens paradas de apresentação de cada membro do grupo, com direito a poses ridículas e buquês de rosas ao fundo! Sentai-maníacos, regozijai-vos!!

Os perfis dos membros do grupo seguem fórmulas batidas, desde o chefe de família e bom marido (Shotaro Ono) até o bonitão carismático e gostosão (Ryoichi Hayami), passando pelo tradicional "possessão desesperado" (Shogo Yamadera), o "Sr. Normal" que caiu de gaiato no meio do esquadrão (Hiroya Matsumoto) e chegando à única mulher do grupo (Riko Hidaka), super energética e que odeia ser tratada como um bibelô. Mas, afinal, quem disse que "sentais" são amados em função de personagens originais ou histórias incríveis? O que interessa mesmo é ver os heróis descendo a lenha nos invasores, e pancadaria-pastelão é o que não falta em Shinesman, com direito a armas incrivelmente inúteis como os cartões de crédito cortantes e os clipes-bomba. Sentai-maníacos, regozijai-vos "again"!!

O lado dos invasores não é muito melhor, ou alguém acredita que um monstro acéfalo chamado Karamool possa realmente causar algum perigo? E se o Príncipe Sakaki, líder do Planeta Voice na Terra, e seu ajudante Sekito ainda transmitem uma certa sensação de segurança, tudo vai por água abaixo com a chegada da Princesa Shina, prima de Sakaki. Ansiosa para destruir os Shinesman de todas as formas, Shina consegue, com seu QI de vácuo, ser ainda mais inepta que Karamool... uma proeza e tanto.

Tecnicamente, não há do que reclamar. Shinesman possui uma animação tradicional de boa qualidade, que dá conta do recado com folga, especialmente se levarmos em conta que o anime foi produzido em 1996. O desenho de personagens de Akiharu Ishii (Prince of Tennis) é muito agradável, assim como o trabalho de arte de Hiroshi Kato (Neon Genesis Evangelion, Pet Shop of Horrors). Na parte narrativa, o roteiro de Hideki Sonoda dá uma boa fluidez à história, com algumas seqüências realmente hilariantes. Além disto, Sonoda ainda adicionou alguns toques interessantes na disputa entre os alienígenas e os terráqueos, os quais lutam entre si não apenas em combates mas, também, em disputas empresariais envolvendo ações, dinheiro, etc.


Shinesman é um anime simples, capaz de agradar a praticamente qualquer pessoa, mas que será melhor apreciado por aqueles familiarizados com o universo dos "sentais" e "tokusatsus". Uma pena que, assim como aconteceu com Dragon Half, Shinesman acaba totalmente no ar, dando a nítida impressão de que episódios adicionais deveriam ter sido produzidos mas que, talvez por falta de verbas, ficaram apenas no planejamento. Uma pena.


Marcelo Reis


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário