sábado, 16 de fevereiro de 2013

Vandread (TV)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 02/07/2002.

Ano: 2000
Diretor: Takeshi Mori
Estúdio: Gonzo
País: Japão
Episódios: 13
Duração: 23 min
Gênero: Aventura / Comédia / Mecha


Como resistir a um anime que, logo nos primeiros segundos de seu primeiro episódio, solta pérolas como "As mulheres são demônios!" ou "Elas vão comer o seu fígado!"? =) Antes que as feministas mais radicais subam nas tamancas e também resolvam comer o meu fígado, vou correr para explicar a história de Vandread... enquanto ainda estou vivo! =)

Em Vandread, Taraaku é o nome do planeta onde vivem apenas homens (!). Mejeiru, por outro lado, é um planeta em que vivem apenas mulheres (!!). Os homens de Taraaku são inimigos mortais das mulheres de Mejeiru (!!!), e ambos os planetas permanecem em constante estado de guerra.

Hibiki Tokai é um cidadão de classe baixa em Taraaku, que sonha em pilotar um Bangata, nome que dá aos mechas Vanguard. Por ser um sub-cidadão, Hibiki nunca poderá realizar seu sonho, uma vez que os pilotos dos Bangatas sempre se originam da elite de Taraaku. Após alguns eventos, digamos, um tanto estranhos, Hibiki acaba embarcando involuntariamente numa missão especial do planeta Taraaku, para destruir as mulheres de uma vez por todas. Esta missão acaba sendo um fracasso, e grande parte dos homens acaba em poder das mulheres... não vou entregar muito da história aqui para não estragar a surpresa, mas não é preciso ser gênio para imaginar o que irá acontecer! =)


Hibiki é o personagem principal, parecido com tantos outros adolescentes gritadores e convencidos presentes em outros shounen, mas com uma grande diferença: é carismático e muito engraçado! Dita é uma garota bonitinha e meio boboca que cai de amores por Hibiki, chamado por ela de "Sr. Alien". Dita faz ainda parte do esquadrão de naves Dreads, juntamente com a vaidosa Jura e a sorumbática líder Meia. Durante uma batalha, o Vanguard controlado por Hibiki (é, ele conseguiu!) se "acopla" com o Dread pilotado por Dita (hmmmm...), formando uma nave super-poderosa: Vandread. E muita coisa rola daí para a frente...

Produzido pelo famoso estúdio Gonzo, responsável pelo incrível visual de Blue Submarine n.6, Vandread é um anime bem leve, com incríveis batalhas espaciais feitas em 3D e muitas, mas muitas situações hilariantes! Homens e mulheres, apesar de inimigos ferrenhos, conhecem muito pouco um dos outros, e a convivência forçada entre ambos acaba gerando muita confusão. É impossível não rir, por exemplo, durante uma conversa entre as mulheres, onde surge um boato de que "os homens possuem um estranho tubo entre as pernas"! Não satisfeita, uma delas pergunta: "Mas como eles fazem para andar? Não atrapalha?"! =) A trilha sonora "farofa" é bem legal, e se adapta com perfeição às cenas cômicas e de ação presentes em Vandread.



Vandread é tudo o que Megami Kohousei tentou ser, sem sucesso. Vandread seria um anime cômico quase perfeito, não fosse a presença do irritante macaco Buutan, uma cópia descarada e nojenta do querido Chewbacca e que estraga todas as cenas em que aparece. Ainda assim, com seus personagens carismáticos e muitas piadas engraçadíssimas sobre a diferença entre os sexos, Vandread é uma excelente pedida para homens e mulheres.

PS: Ninguém comeu meu fígado... opa, peraí!! AAARGH!!!


Marcelo Reis


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário