sábado, 16 de fevereiro de 2013

Where is Mama? (Movie)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 30/08/2008.

Alternativos: Xiao Ke Dou Zhao Mama; Where´s Mama?
Ano: 1960
Diretor: Te Wei / Qian Jiajun
Estúdio: Shanghai Animation
País: China
Episódios: 1
Duração: 15 min
Gênero: Aventura / Fantasia


Curta-metragem de animação dirigida por Te Wei, um verdadeiro mestre que infelizmente ainda é pouco conhecido em nosso país, "Where is Mama" é uma obra de temática simples, mas que tem importância fundamental na história da animação mundial em função da técnica revolucionária utilizada: criar uma obra animada usando técnicas de desenho com pincel e tintas à base de água, como a aquarela.

Para explicar melhor o porquê desta importância, tomo a liberdade de usar algumas informações fornecidas pelo próprio Te Wei em uma entrevista que deu ao site Animation World Magazine. Te Wei comenta que aceitou o desafio de criar uma obra animada usando uma técnica tão desafiadora ao ouvir um comentário do então Vice-Presidente chinês Chen Yi, o qual dizia ter a esperança de que, um dia, as pinturas do famoso artista chinês Qi Baishi pudessem ser animadas.

O resultado alcançado é impressionante. Basta comparar algumas gravuras de Qi Baishi no site China the Beautiful com as imagens animadas de "Where is Mama" para perceber a excelência do trabalho de Te Wei e sua equipe do Shanghai Animation Studio. Só o fato de terem conseguido reproduzir fielmente o estilo visual de Qi Baishi já seria motivo de elogios, mas conseguir adicionar a tudo isto uma animação fluida e cheia de detalhes de degradê e transparência... só mesmo um gênio do calibre de Te Wei para ser bem sucedido em tal façanha.


A história em si é muito, muito simples. Vários girinos nascem justamente quando sua mamãe-rã se ausenta por alguns instantes. Ao verem alguns pintinhos brincando com a mamãe-galinha, os girinos sentem a falta de sua própria mãe e saem nadando pelo rio importunando a todos os animais da região, perguntando se algum deles era a sua mamãe.

Os animais em "Where is Mama" não são antropomorfizados, todos possuem movimentos e comportamentos bem próximos aos animais reais, exceto em alguns momentos nos quais a expressão facial chega a ser um pouco mais cartunesca. Não há diálogos na obra mas, sim, uma narração em mandarim que não apenas conta a história, mas tenta expressar o que os animais parecem dizer. A trilha sonora instrumental é tipicamente chinesa, com destaque para os instrumentos de corda (em especial o Banhu) e sopro (Houguan e Guan Zi), e transmite bem o clima bucólico e leve que permeia toda a obra.

Mas o destaque, sem dúvida, é o estilo de animação. A cada novo animal ou paisagem que aparece na tela, ficamos impressionados não apenas com a beleza do traço e a sutileza das cores mas, principalmente, com a fluidez e a perfeição da animação. Observar um caranguejo cujas oito patas movimentam-se com perfeição, um peixe cuja enorme cauda translúcida se agita suavemente na água, bolhas de água que enriquecem o ambiente, além de vários outros detalhes sutis presentes a todo momento, e pensar que tudo aquilo foi feito usando uma técnica de pintura com aquarela, chega a ser realmente inacreditável. Para se ter uma idéia das dificuldades envolvidas neste tipo de animação, basta dizer que apenas três outras obras animadas foram feitas com a mesma técnica: "The Cowboy´s Flute" e "Feelings from Mountain and Water", ambos do próprio Te Wei, e "The Deer´s Bell", animação dirigida por Wu Qiang e Tang Cheng.



Em função da curta duração e da simplicidade do enredo, "Where is Mama" não tem nada de excepcional em termos narrativos, ainda que seja muito agradável de se ver. Mas esta pequena obra-prima possui um valor histórico evidente, em função de seu estilo único de animação, e merece ser um pouco mais divulgada no Ocidente. Afinal, se não fosse por Te Wei e outros colegas igualmente talentosos do Shanghai Animation Studio, como os irmãos Wan Laiming e Wan Guchan, provavelmente um outro mestre chamado Osamu Tezuka não teria se interessado em trabalhar como artista, o que teria mudado sobremaneira todo o mundo dos mangás e animes da forma como o conhecemos hoje.


Marcelo Reis


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário