sábado, 16 de fevereiro de 2013

Wolf's Rain (TV)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 04/11/2003.

Ano: 2003
Diretor: Tensai Okamura
Estúdio: BONES
País: Japão
Episódios: 30
Duração: 30 min
Gênero: Aventura / Cyberpunk / Sci-Fi


Wolf´s Rain talvez tenha sido a série animada mais aguardada em 2003. Afinal, não é todo dia que surge uma nova produção criada pelo mesmo time responsável por Cowboy Bebop. Contando com a participação de profissionais do calibre de Keiko Nobumoto (história original) e Tensai Okamura (direção, responsável pelo episódio "Stinky Bomb", em "Memories"), entre outros, Wolf´s Rain é um anime impecável nos aspectos técnicos, mas que, infelizmente, não faz justiça a todo o alarde criado ao seu redor, no tocante ao conteúdo e ritmo.

A série começa muito bem. De acordo com uma história contada pelos idosos das estepes russas, o paraíso apareceria em algum lugar da Terra, quando o fim do mundo chegasse, mas apenas os lobos saberiam onde isto ocorreria. Em tempos antigos, os humanos temiam os lobos, os quais eram tratados com extremo respeito. Mas a extinção dos mesmos, ocorrida 200 anos antes, fez com esta história perdesse a força gradualmente, até se tornar apenas mais uma lenda entre tantas outras, muitas vezes se tornando motivo de chacota.

As coisas começam a mudar com a entrada em cena de Tsume, líder de uma gangue que rouba suprimentos das pessoas mais ricas. Cara fechada e de poucas palavras, Tsume se mantém emocionalmente afastado de tudo e de todos, buscando apenas liderar seus subordinados com eficiência. Certo dia, a gangue de Tsume encontra um enorme cachorro branco, ferido, deitado dentro do tronco de uma árvore. Tsume percebe que aquele enorme cachorro é, na verdade, um lobo, e antes que possa avisar seus subordinados, uma pequena carnificina acontece. A partir deste rápido encontro entre Tsume e o lobo branco, começa a ser desvendado o verdadeiro universo existente por trás de Wolf´s Rain, com lobos que se disfarçam de humanos para sobreviver, e humanos que querem impedir a chegada dos lobos ao paraíso, de todas as formas. A presença dos Aristocratas, o surgimento da Filha da Flor e as revelações do Livro da Lua completam o complexo cenário .

A primeira coisa que chama a atenção em Wolf´s Rain é a excelência visual alcançada pelo estúdio Bones. A animação possui uma qualidade inacreditável, e os efeitos de computação são usados com tamanha eficiência que passam praticamente despercebidos. O trabalho de arte como um todo é de uma beleza plástica incrível, com cenários impressionantes, muita sensibilidade no uso de cores e sombras, e um desenho de personagens ao mesmo tempo discreto e agradável.



A parte sonora, mais uma vez a cargo da onipresente Yoko Kanno, não faz feio. O tema de abertura, "Stray", é muito bom, e a trilha sonora de fundo se encaixa adequadamente à ação que se desenrola. Mas é a música de encerramento, "Gravity", a verdadeira jóia musical de Wolf´s Rain. Cantada num inglês impecável pela maravilhosa Maaya Sakamoto, "Gravity" é uma das mais belas músicas criadas por Yoko Kanno. Vale a pena assistir ao final de cada episódio, só para ouvir esta bela canção mais uma vez. ^_^ Ah, prestem atenção nas músicas que tocam durante a série: uma delas é cantada inteiramente em português! ^_^

Em relação ao conteúdo, não dá para negar que Wolf´s Rain é uma série muito original. Se a idéia central parece um tanto idiota à primeira vista, ela nos é apresentada de uma maneira tão interessante que acabamos tentados a acreditar na mesma. ^__^ O ritmo da narrativa é perfeito até os episódios 12 e 13, durante os quais vamos conhecendo os personagens principais, como Kiba (líder da alcatéia, se recusa a assumir a forma humana e não se acostuma às regras da civilização), Tsume (racional, não confia em ninguém), Toboe (um lobo domesticado, que gosta dos humanos), Hige (preguiçoso e gordo, é bem humorado e adora comer), Cheza (a misteriosa Filha da Flor, de olhos vermelhos e sensibilidade aguçada), Darcia (pertence à classe dos nobres, enigmático e com um olho de cada cor) e o xerife Quent Yaiden (odeia lobos!).

Se a metade inicial de Wolf´s Rain é quase perfeita em ritmo e conteúdo, as coisas desandam terrivelmente a partir do episódio 15. Quando algumas coincidências incríveis começam a acontecer, um pouco antes, a sensação ruim começa a aparecer... "será que eles vão conseguir estragar esta série?". Acreditem: eles conseguiram. Basta dizer que, do episódio 15 ao 18, acontece apenas um gigantesco e irritante "recap", aqueles malditos episódios "resumo da série", usados para ganhar tempo e economizar dinheiro.

Para completar, as idéias originais contadas de maneira convincente na primeira metade perdem toda a força após os "recaps", e toda a coerência da história vai por água abaixo. A narrativa torna-se fragmentada, os clichês e as coincidências abundam por toda a parte, e os famigerados dramalhões imperam. Para quem acha exagero, um exemplo de incoerência gritante: se o anime se passa na estepes russas durante todo o tempo, como é possível que, de uma hora para outra, os lobos se encontrem em um cenário semelhante ao Grand Canyon, repleto de índios americanos, num episódio que não acrescenta nada à série?



Antes que as acusações de "chato" e "cri-cri" comecem a pipocar, é preciso dizer que sou fã de carteirinha do Bones, e assisti a "Wolf´s Rain" com o espírito desarmado, querendo gostar deste anime de todas as maneiras. Não dá para fechar os olhos e ignorar os graves problemas presentes na série. Wolf´s Rain é um anime muito bom, visualmente uma das melhores produções recentes, mas que está muito longe da real capacidade do estúdio Bones em contar boas histórias (vide o excelente RahXephon).


Marcelo Reis


 

2 comentários:

  1. Rapaz, dou um 8 pra WR, a primeira parte tem 10 de nota, a segunda uns 5 ou 6. No geral o anime deveria ser 7, mas a trilha sonora de yoko é fenomenal, fora os momento antológicos que ela embaça. Fosse pegar por méritos isolados seria um anime nota 9, mas juntando tudo nao passa de um 8.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, este anime começou sensacional, mas foi perdendo o ritmo com o passar do tempo. Este, aliás, é um problema comum a muitos animes: dá a impressão que o pessoal se perde no meio, não conseguindo conciliar o tempo de produção com a quantidade de episódios e o conteúdo narrativo. Mas como o Bones fez o FMA um pouquinho depois, saiu com muito crédito na fita, hehehe.

      Excluir