quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Fruits Basket (TV)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 09/10/2009.

Alternativos: Furuba
Ano: 2001
Diretor: Akitaro Daichi
Estúdio: Studio DEEN
País: Japão
Episódios: 26
Duração: 24 min
Gênero: Comédia / Drama / Romance





Fruits Basket, ou simplesmente Furuba, como é popularmente conhecido, foi lançado em 2001 pelo Studio DEEN, responsável por grandes obras como: Rurouni Kenshin, ROD, Patlabor, entre vários outros de grande sucesso, e como já era de se esperar, possui uma animação e trilha sonora fora do comum.

Mas... devo deixar informado aos leitores dessa review que o anime Furuba é baseado apenas nos volumes iniciais do mangá, deixando grande parte da obra sem ter sido realmente mostrada e retratando a história inicial como sendo a principal, deixando o grande e real acontecimento de lado. Mas isso é algo que pode até ser relevado, levando-se em conta que se trata de uma adaptação e, segundo rumores na internet, existe uma possibilidade do anime ser refeito, devido à tremenda revolta dos fãs. Vamos sem mais enrolações ao enredo.

Buda ofereceu uma festa no céu e convidou alguns animais, recomendando a eles que não faltassem. Mas o rato danado e traiçoeiro enganou o gato dizendo que a festa era em outro dia. E enquanto todos os animais dirigiam-se felizes à festa com Buda, o gato dormiu tranquilamente. Por este motivo, o gato acabou ficando fora do Juunishi, o horóscopo chinês. Isso justifica em parte o ódio entre gato e rato até os dias atuais. Mas isso não passa de uma introdução para justificar o enredo central. A história em si começa quando Honda Tohru, uma adolescente boba, atrapalhada e meio lerdinha, estava indo à escola num dia qualquer quando encontra uma casa em meio à floresta, com os animaizinhos zodiacais na porta, e se surpreende ao saber que ali mora o jovem Yuki Sohma, seu colega de classe, o qual lhe faz companhia enquanto caminham. 

Desde o falecimento de sua mãe, Tohru mora em uma tenda, mas por coincidência acaba deparando-se com os donos da propriedade onde está escondida sua tendinha. Ela se vê obrigada a dar explicações e, por um desses acasos que só o destino explica, vai morar na casa dos Sohma, onde pouco depois, acidentalmente, descobre o grande segredo da família, uma maldição que os cerca a muito tempo. 

Tohru é uma adolescente comum, com um senso de amizade e igualdade acima do normal, seu temperamento calmo e alegre cativa a todos, principalmente os integrantes da Família Sohma. Um a um eles se rendem ao seu sorriso bobo, como quem se agarra a uma tábua de salvação. Eles, que sempre estiveram presos não só à maldição mas, também, a tradições e costumes familiares que os impedem de fazer praticamente tudo, enxergam na jovem Tohru uma possibilidade de se livrar da maldição que cerca os Sohma. Para entender melhor, vamos comentar um pouco sobre os outros personagens principais dessa fase do anime. São eles Yuki e Kyo Sohma, mas vou comentar separadamente, pois eles são tão parecidos quanto água e vinho.






Sohma Yuki é o príncipe da escola. Um garoto bonito, inteligente, forte e esperto, o belo príncipe desperta o desejo de todas as garotas que cercam seu caminho, e como diria um companheiro de Yuki: ”ao invés de inveja, eu tenho é medo“ pois todos caem aos pés do príncipe como quem se choca com uma rocha. De aparência pálida e comportamento silencioso, Yuki desperta em todos um desejo possessivo estranho, tanto nas meninas como nos meninos, mas seu comportamento alheio às situações e sua frieza com os relacionamentos o faz alvo de amores platônicos e relacionamentos velados. Ele mesmo se auto-titula como incapaz de sentir amor ou qualquer outro sentimento por outra pessoa, pelo menos até o aparecimento de Tohru na sua vida.

E como toda a história de príncipes e princesas, precisamos ter o grande rival, e ele aparece na forma de Sohma Kyo, o primo de Yuki. De temperamentos opostos, Kyo e Yuki normalmente saem sempre no tapa, briguinhas rápidas que sempre têm o mesmo resultado: Kyo sendo espancado por Yuki. Mas Kyo tem a vantagem de saber expressar seus sentimentos, mesmo quando tem que assumir seus erros, ele sabe se desculpar e se tornar atencioso como poucos e, com isso, se torna querido rapidamente por todos, mesmo sem notar. 

Kyo é o tipo de pessoa que atrai a todos, mesmo sendo o mais rabugento e briguento da turma. Sua capacidade de se aproximar dos outros faz com que logo se torne o centro das atenções. Incompreendido e ridicularizado por alguns membros da Família Sohma devido a sua vida como "aquele que carrega o Espírito Vingativo do Gato", Kyo tem muitos motivos para ser nervosinho e chato, mas com o passar do tempo ele se torna quase incapaz de dizer ”não“ à doce e meiga Tohru.

E para completar o trio familiar central temos Shigure Sohma, o único adulto na casa dos Sohma, que tenta dar conselhos aos jovens, a medida do possível. Ele é o pentelho em pessoa; provoca, irrita e ridiculariza sentimentos banais como ódio, raiva. Ele é totalmente avesso ao trabalho e tem um prazer enorme em torturar a sua pobre assistente. Ele é o homem da casa (cof! cof!) ou pelo menos deveria ser. É o responsável por dar um alívio cômico à convivência entre Yuki e Kyo, pois de início eles mal podem se enxergar que já saem brigando. Mas apesar de toda essa essência patriacal esculachada, Gure-san não passa de um espelho das verdades incômodas de todos os personagens que passam pelo anime. Ele é o que melhor entende os sentimentos de Yuki e Kyo: nas raras vezes em que conversa seriamente, podemos notar que ele sofre muito por todas as dificuldades que passam os seus amigos.

E claro, não podíamos deixar de falar das duas amigas de Tohru, Hana-chan e Uo-chan, as duas grandes malucas do anime. Hanajima é a ”garota onda“ com direito a anteninha para captar as vibrações das pessoas. Totalmente apaixonada pela personalidade de Tohru, Hanajima tem uma história de vida complicada: há anos foi tachada de bruxa e, por este motivo, tornou-se distante das pessoas das quais não capta boas freqüências. Uotani é amiga da mãe de Tohru, ela é encrenqueira por natureza e normalmente chamada de "yankee" devido aos seus trajes e modos nada convencionais, que vão desde o uniforme diferenciado dos demais até conseguir (ninguém sabe como) trazer uma barra de ferro para escola e causar terror em todos que se aproximam de Tohru, apenas com um olhar, principalmente nas meninas do Fã-Clube do Príncipe. Junte a elas os outros componentes do Junishii e vários outros personagens que surgem ao decorrer dos 26 episódios e teremos um anime que, com certeza vai garantir muita risada e doses cavalares de amor fraternal.



Se comparado com o mangá o anime fica muito a desejar, muito mesmo! Vários personagens que tem uma passagem essencial sequer são citados. Houve também uma grande alteração no tema e personagens centrais, fazendo com que achássemos que somente a história de Kyo e Yuki merecessem destaque. Mas, no conjunto, o anime se tornou agradável e divertido, bem dosado entre humor e drama. A história parece consistente pra quem não teve acesso ao mangá, pois quem já leu (como eu...) sabe que esse enredo não chega sequer aos pés do que seria a história original. O enredo é contado em forma de episódios com um foco central em que alguns dos membros do Junishii vão aparecendo, um a um, dosados e cada um com sua história. É um anime divertidíssimo e envolvente, mas para quem já teve o gosto de ler o mangá completo, vai notar que ele merecia mais.

Resenha escrita em parceria com SubaJunior – meu maninho *-*"

Cátia Nunes

Nenhum comentário:

Postar um comentário