segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Norageki (OVA)

Alternativos: Five Numbers!
Ano: 2011
Diretor: Yoshiki Yamakawa
Estúdio: Sunrise
País: Japão
Episódios: 1
Duração: 25 min
Gênero: Aventura / Drama / Mistério / Sci-Fi


Anime estranho este tal de "Norageki". Apesar de contar com um time de pesos-pesados como o diretor Hiroaki Ando (Princess Arete) e o roteirista Dai Sato (Ergo Proxy, GITS-SAC), além da produção da toda poderosa Sunrise, "Norageki" tem toda a pinta de um anime independente. Seu estilo visual, por exemplo, nos remete imediatamente a "Kakurenbo" e "Freedom", duas obras de Shuhei Morita feitas em animação 3D usando cell-shading. E este tipo de estranheza permeia o anime o tempo todo, como se ele não soubesse que caminho seguir: uma produção intrincada da Sunrise, ou uma obra de um pequeno estúdio tentando tirar leite de pedra?

Uma queda de energia numa prisão isolada de segurança máxima causa a abertura de todas as celas. Apesar do tamanho grandioso das instalações, quatro pessoas e um gato preto aparentam ser seus únicos habitantes. Estes prisioneiros tão diferentes entre si vão se conhecendo aos poucos, enquanto tentam descobrir o que causou o blecaute inesperado e o motivo pelo qual não existem outras pessoas no local. Mas o tempo é curto, e questões ligadas à sobrevivência de cada um deles acabam se tornando mais urgentes.

Os personagens são tão formulaicos que nem nome eles possuem. Temos o jovem caladão e misterioso que parece saber mais do que aparenta; o homem de meia-idade com alguma possível ligação com aquela prisão; a loura gostosona que tenta usar o corpo para se dar bem; e uma nerd de óculos e cabelos azuis que confia mais nos números do que nas pessoas.


Num roteiro bem trabalhado, até personagens tão rasos poderiam dar um caldo, mas o conteúdo de "Norageki" não empolga em momento algum. Abusando pra valer de diálogos expositivos constrangedores e deslocados, além de conceitos filosóficos pueris sobre humanidade, "Norageki" ainda "esconde" um suposto segredo sobre a tal prisão que chega a ser risível de tão óbvio.


"Norageki" não possui nem uma parte técnica deslumbrante para compensar este imenso vazio de substância. As primeiras cenas até passam uma boa impressão, com uma prisão de visual asséptico e impessoal, mas quando os personagens se tornam o centro das atenções, vemos a falta que faz uma pessoa como Shuhei Morita na produção. Se o uso do 3D com cell-shading foi crucial para tornar "Kakurenbo" e "Freedom" tão impressionantes em termos visuais, em "Norageki" a técnica causa um efeito contrário, sugando a energia do que acontece na tela, deixando a obra ainda mais sem vida.

Um detalhe bem interessante neste anime é a música de encerramento, "Volevo Un Gatto Nero" (Eu Quero um Gato Preto), uma cantiga infantil italiana cantada no idioma original e que tem tudo a ver com o que acontece no final do anime. Final que teria tudo para ser marcante, mas que não causa emoção alguma justamente em função da narrativa frouxa.


"Norageki" é um anime curto, apenas 25min, e assisti-lo não causará a sensação de ter jogado seu tempo fora. Mas se quiserem usar este tempo em algo melhor, assistam "Kakurenbo" ou "Pale Cocoon" e me agradeçam depois. ^_~


Marcelo Reis


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário