quinta-feira, 16 de outubro de 2014

O Universo de Gundam

OBS: Artigo publicado originalmente no Animehaus em 13/05/2007.


A história de Gundam surgiu do argumento de Hajime Yatate e Yoshiyuki Tomino que, em 1979, escreveram o roteiro para a primeira série, na qual imaginavam que o mundo acabaria por ser destruído pela própria arrogância humana. Deixaram de lado as antigas séries envolvendo mechas e começaram a imaginar algo de novo. Pois guerrear com seres alienígenas, colocando sempre a ênfase nos super desenvolvidos ”mechas“ era quase um crime, pois - quem os criou? É óbvia a resposta - a inteligência humana, então seria quase um pecado colocar as vidas dos humanos nas mãos de robôs que seriam pilotados pelos mesmos humanos. As máquinas passando a ter um papel secundário, colocando em primeiro plano a emoção humana, sem censura e sem cortes.

A amplitude criada para Gundam só chega a ser acompanhada por Macross (em enredo), pois um mundo a parte foi criado para Gundam. 

Fico imaginando como deve ter sido para formar a vida e a personalidade de cada um dos personagens que ganharam vida nas mãos de seus autores. Como surgiu o ano de início das guerras? Como surgiu o ”After Colony“? Como se montou a personalidade de cada personagem? De onde veio o passado de cada um deles? E principalmente, como idealizaram os Gundams? - Estranho é entender a mente de pessoas tão geniais.

Side3, o início de tudo, desde Amuro até a série atual, ou seja, Turn A Gundam, montou-se uma história incrível em termos de localização, pois cada série se encaixa, não cronologicamente, mas em períodos de tempo, diversas histórias podem estar ocorrendo ao mesmo tempo segundo a cronologia de Gundam. Seus autores não imaginaram uma história em separado, com a ação ocorrendo apenas num local mas, sim, várias histórias, vários personagens principais, varias vidas em jogo ao mesmo tempo. E ainda assim, de uma forma surpreendente, pois só soubemos disso quando as outras séries de Gundam foram lançadas. Surpresas do início até o final. Mas de que final estamos falando? Gundam ainda esta em andamento.

O que realmente emociona em Gundam é a caracterização temporal, pois apesar de algumas séries terem sido lançadas depois da série original, a caracterização das personagens e dos Gundams se adequa aos seus relativos tempos e as circunstâncias, em suma, os Gundams evoluem e regridem conforme as épocas de suas séries, pois numa comparação simples, a ultima série lançada, ”Turn A Gundam“, é relativamente antiga nessa contagem de espaço temporal, mas ”Gundam Wing“, mostra os mechas em sua forma mais evoluída. E Gundam Wing alcançou a evolução mais natural para a guerra, pois como diria Heero: 

”Quantas menininhas e cachorrinhos terei que matar até que esta guerra pare, WuFei? – o Zero (referindo-se ao Gundam Zero) não vai me responder, responda você WuFei!“.

Guerra é assim mesmo, dura e cruel.

E para o universo de Gundam, guerra não é a história de lutas e mortes... para Hajime Yatate e Yoshiyuki Tomino, é a história de criação de vidas...


Umas palavrinhas da autora (eu mesma (=p))

Escrevi esse texto há pouco mais de um ano, quando tivemos a idéia de publicar pequenos artigos dentro do Animehaus. E talvez por ter sido escrito há tanto tempo, o texto não seja mais tão atual quanto era. Afinal, outras séries apareceram, (como: Gundam Seed, Gundam Seed Destiny, Gundam MS Igloo) mas isso é irrelevante, levando-se em conta que nunca teremos algo realmente atual... pois o universo Gundam não pára.


Cátia Nunes


Nenhum comentário:

Postar um comentário