quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Rayearth (OVA)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 28/02/2005.

Ano: 1997
Diretor: Keitaro Motonaga / Toshiki Hirano
Estúdio: CLAMP / Shueisha / Tokyo Movie Shinsha
País: Japão
Episódios: 3
Duração: 45
Gênero: Aventura / Drama / Fantasia




Certamente uma grande obra das meninas do Studio Clamp, "As Guerreiras Mágicas de Rayearth" (Magic Knight Rayearth) era a história de uma lenda antiga de um mundo chamado Zefir. Mas se você esta imaginando que os Ovas seguem a mesma linha.....hummmm.....esqueça. A série de OVAs é uma nova história com os mesmos personagens, e não tem absolutamente nada a ver com a série original, a não ser pelos personagens, mas até mesmo eles tiveram sua história 100% alterada. Inclusive o nome da saga mudou, passou a chamar-se unicamente "Rayearth".

Isto é ruim?? Definitivamente, não! Minha admiração pela capacidade das meninas do Clamp aumenta a cada dia, pois a qualidade técnica dos OVAs conseguiu superar minhas expectativas, deixando-os ainda melhores que a antiga série de TV. Já a história continua meia-boca e meio sem criatividade, pois em alguns pontos a inspiração falta e fica clara a influência das outras obras da Clamp... mas deixa isso pra lá: a qualidade visual compensa as quedas do enredo.

Lucy, Annie e Marine, ou melhor, Hikaru, Fuu e Umi ainda são as personagens principais dos OVAs, mas aqui elas já se conhecem, estudam na mesma escola, são amigas e aparentemente estão mais velhas. Mas o personagem que teve uma mudança realmente acentuada no traço foi o Guru Cleff, que está bem mais alto e com aparência de um jovem de 18 anos, uma mudança para melhor, a meu ver, pois na série anterior ele possuía 700 e alguns anos e tinha aparência de 12. 




O enredo começa com uma Zefir destruída. Eagle Vision é o vilão da história, surge como irmão da princesa Esmeralda (já em sua forma adulta) e conta também como aliados os seus fiéis seguidores Ferio, Alcione e Ascot. Lantis também surge após a morte de seu irmão Zagard... isso aí, Zagard já está morto. Zefir está invadindo a Terra, e a Torre de Tóquio é aparentemente a porta de entrada para um castelo gigantesco, do qual se iniciará a destruição de tudo.

Muitas coisas foram mudadas, os outros personagens da saga para TV não são sequer citados, e os que permaneceram tiveram suas personalidades 100% alteradas. Os Mashins (os robôs gigantescos), controlados pelas Guerreiras Mágicas, mudaram de nome (o de Hikaru passou a chamar-se Lexus) e de forma, pois, agora, as características animais são bem mais visíveis. Além disto, o número de usuários de Mashins também foi alterado, pois agora Alcione, Ferio, Ascot e Eagle tem o seu. Mesmo assim podemos notar algo muito remoto da antiga lenda da série de TV, como a invocação das guerreiras e sua obrigação de achar uma salvação para o mundo, mesmo não sendo o "mundo" delas, pois, agora, toda a população desapareceu e apenas as três meninas sobraram para tentar impedir a invasão e, conseqüentemente, salvar a Terra. 

Visualmente, a série de OVAs (produzida em 1997 e lançada originalmente em vídeo e LD) é bem melhor que a série de TV. A trilha sonora é muito boa, e a música tema dos OVAs, "All You Need Is Love", é interpretada por Naomi Tamura, que já havia cantado de forma brilhante vários "hits" da série de TV como "Yuzurenai Negai" e "Hikari to Kage wo Dakishimeta Mama".



A meu ver, apesar do enredo meio sem criatividade, reafirmo: "só o traço da animação Clamp compensa". Se estiver sem ter o que fazer, assista. Não é nenhuma grande obra, mas vale pelos momentos de tensão e diversão que proporciona.

Cátia Nunes

Nenhum comentário:

Postar um comentário