quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Vision of Escaflowne: A Girl in Gaea (Movie)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 24/04/2005.

Alternativos: A Girl in Gaea, Escaflowne: The Movie
Ano: 2000
Diretor: Hajime Yatate, Shoji Kawamori
Estúdio: Sunrise
País: Japão
Episódios: 1
Duração: 98 min
Gênero: Fantasia / Mecha / Shoujo





Lembro de comentar com alguns amigos: não adianta querer comparar uma série de TV com um "movie", pois em muitos casos o enredo apenas condensa a história (como X-1999-The Movie) ou, ainda, dá seqüência ao enredo iniciado anteriormente (como Initial D - Third Stage). E produzir 24 ou 26 episódios para TV faz com que o enredo de qualquer anime seja mais cadenciado e elaborado, mas em um "movie" de 90 min isso é quase impossível de se fazer. E o mesmo acontece em sentido inverso, ou seja, quando se parte de um "movie" ou série curta de OVAs para uma série longa feita para a TV. Pouquíssimos animes conseguiram manter o mesmo pique em ambas as seqüências ("movie" e série de TV).

Pra que toda essa introdução? Isso foi só um aviso aos mais críticos, pois o "movie" de Vision of Escaflowne (Tenkuu no Escaflowne), produzido pela Bandai juntamente com a Sunrise em 2000, é novamente uma surpresa agradável a todos que tiverem oportunidade de assistir. Mas não se deve, de forma alguma, ser comparado à série. Pois os personagens continuam os mesmos, o enredo é o mesmo, mas o ritmo é muito acelerado, pois ele condensa a série. Estamos entendidos?

Diferente da série lançada em 1996, o "movie" sofreu algumas alterações. Van Fanel, o jovem rei de Fanélia, agora um reino destruído e quase sem descendentes, começa como membro dos Abaharaki (um grupo que resiste à ditadura imposta pelo Clã dos Dragões Negros), e sua descendência Draconiana não é em momento algum contestada. Os Abaharaki são comandados por Allen Schezaar, agora um exímio espadachim, com feições mais adultas e porte seguro, diferente das características colocadas na série TV, onde ele era um jovem cavaleiro, gentil ao extremo. 





Eles (Van e Allen) um dia se encontraram em batalha e uniram forças, mas o jovem rei de Fanélia, que é ainda mais solitário que o demonstrado na série de TV, segue em busca da sagrada armadura de Escaflowne (Guymelef), que agora pode ser comandada por qualquer pessoa que possua o sangue do Clã dos Dragões nas veias. A armadura foi retirada de seu lugar de origem por Lord Folken, o grande inimigo do reino e líder do Clã dos Dragões Negros.

Hitomi Kanzaki ainda é a personagem principal, e por este motivo teve a maior parte de suas características preservadas. Ela ainda faz parte do clube de atletismo, é visionária e foi transportada da Terra para Gaia mas agora, desde o início, sabe-se que ela é a "Tsubasa no Kami", a Deusa das Asas, capaz de mudar o mundo de Gaia conforme seu desejo. 

Dos outros personagens, devo citar o forte amadurecimento de Merle (a menina-gata), agora ela parece importar-se não somente com Van mas com todo o reino, mesmo sem poder ajudar muito. E, do lado do mal, Dilandau foi bastante alterado, pois agora ele é um homem... quem assistiu a série TV deve estar entendendo. Obvio, como nem tudo pode ser perfeito, ele continua psicótico e fanático por guerras.

Dirigido por Akane Kazuki e "design" nas mãos de Yuki Nobuteru, a parte visual é ainda melhor que na série de TV, o que já era de se esperar, pois se trata de apenas um "movie" de 90min. Ah, a trilha sonora....Ahhh... é... A TRILHA SONORA!! Novamente feita por Yoko Kanno, é magnífica, e consegue, a meu ver, superar a da série de TV. As seqüências de ópera misturadas com solos vocais, a orquestra ao fundo.... só uma palavra pode descrever: perfeita!!



Não há muito que se possa falar de inovador sobre o enredo, mas o movie de "Vision of Escaflowne" pode ser citado, sem maiores problemas, como uma boa diversão aos amantes da série de Escaflowne, apesar de ser uma produção mais séria. É uma boa pedida.

Cátia Nunes

Nenhum comentário:

Postar um comentário