domingo, 23 de novembro de 2014

Matantei Loki Ragnarok (TV)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 24/09/2005

Alternativos: Demon Detective Loki Ragnarok
Ano: 2003
Diretor: Hiroshi Watanabe
Estúdio: Studio DEEN
País: Japão
Episódios: 26
Duração: 30 min
Gênero: Aventura / Comédia / Shounen



Produzido em 2003 pelo Studio Deen, composto por 26 episódios, de autoria de Kinoshita Sakura, "design" a cargo de Oka Moriko, dirigido por Watanabe Hiroshi e com um belo arranjo musical (Rakuen no Tobira e Believe in Heaven são bons exemplos), este anime conta a história de um jovem detetive chamado Loki e seus companheiros. Histórias de detetives são comuns, mas você já viu alguma baseada nos Deuses Vikings? Este anime explora um lado meio esquecido da história da animação, "a mitologia nórdica", ou seja, os Deuses Vikings são os personagens principais. Mas o que eles estão fazendo na Terra, mais exatamente no Japão?

Segundo o enredo, alguns Deuses foram banidos de Valhala (Valhala é o Palácio em Asgard onde vive Odin com seus guerreiros) devido a alguns atos que cometeram, contrariando os interesses de Odin. Entre eles temos Loki (Fuchizaki Yuriko), o Deus do Fogo do panteão nórdico e irmão de sangue de Odin. Ele é considerado o símbolo da maldade, o senhor dos truques, trapaças e da magia. Loki é ora como Ases (Bem), ora como Demônio (Mal), e segundo a lenda, ele foi preso em um rochedo, no qual permanecerá até o fim do mundo, quando será libertado. Ele desposou uma gigante chamada Angurboda e teve 3 filhos, um deles era Hell (a Deusa da Morte... assistam o final do anime...eheheh).

No anime é representado por um jovem que aparenta ter cerca de uns 10 anos, muito inteligente, habilidoso e é dono de uma Agência de Detetives. Trabalhando com ele temos seu amigo e serviçal Yamino Ryusuke (Miki Shinichirou). Yamino é a encarnação da Cobra que devorou o mundo na mitologia, e no anime ele serve Loki quase cegamente, como alguém que deve algum favor, questiona seu senhor apenas poucas vezes, da mesma forma que o cãozinho Fenrir (...eheheh, alguém já viu CDZ, a Saga de Asgard???). Aliás, citando outros animes, não posso deixar de falar das irmãs Norn: Urd, Verdandi e Skuld que são assassinas enviadas por Odin para matar Loki (opss...alguém viu Ah! Megami Sama??)... mas, voltando ao assunto, Yamino e Fenrir tem algo em comum: são filhos de Loki... peraí! Loki tem 10 anos...Yamino é seu parceiro e Fenrir é um cão... são filhos de Loki? Como?... Só assistindo... eu não vou contar... ^__^


No anime, em um dos episódios aparece um roubo que, segundo a mitologia, realmente ocorreu, o "roubo do colar da Deusa Freya", o qual Loki escondeu entre a rochas, mas Heimdall recuperou. Mas, como conta o enredo do anime, Freya estava com seu espírito aprisionado dentro do colar, e quando o jovem Heimdall o recuperou, ela se libertou.

Aliás, aqui temos uma das passagens mais engraçadas do anime, que é quando Frey, o irmão de Freya, se fantasia de ladrão para tentar roubar o colar (que está em um museu) para assim reencontrar sua amada irmã. Sinceramente, Frey (Koyasu Takehito) é um palhaço ridículo que faz dar boas risadas. Bom, falando sobre Frey: ele é o Deus da Liberdade, da Paz, da Fertilidade, dos Campos e da Fecundidade dos Homens, que atravessa os ares montado num Javali de Ouro, cujas cerdas irradiam intensa luz. É nessa parte que morro de dar risada (eheheh), pois o Javali de Ouro foi transformado num porquinho mecânico que mal se agüenta nas pernas. Temos aqui também a jovem Reya, uma menina que, após ser salva por Loki, se apaixonou perdidamente por ele, mas... na realidade ela é Freya, a Deusa Escandinava do Amor, a qual, na poesia dos Edas, simboliza a paixão violenta. No anime, ambas as versões (Reya e Freya) morrem de amores por Loki, e compartilham personalidades parecidas: são bonitinhas, tontinhas e abobadas.

Heimdall (Paku Romi) é um dos principais deuses escandinavos. No anime ele é um jovem que odeia Loki com todas as suas forças, também está preso no mundo dos humanos e, por algum motivo, não consegue voltar ao mundo dos Deuses. Segundo a mitologia, ele é o Deus Luminoso, "Esplendor do Mundo", Pai dos Humanos e Guarda do Arco-Íris. Aquele que guarda a porta do céu contra os gigantes, o que explicaria parte do ódio que ele nutre por Loki. Possui sentidos tão aguçados que, segundo consta, pode perceber o crescimento da lã de um carneiro (Nossa!... Isso que é sentido aguçado). No inicio da série, ele demonstra um ódio exagerado e irracional por Loki, tentando matá-lo a todo o custo mas, rumo ao final, ele se torna mais ponderado, pois acima de tudo ele admira a coragem e força de Loki.

Fora esses personagens, temos outros de grande importância, mas entregar o enredo por que? Se o engraçado é poder acompanhar a cara de espanto das pessoas ao assistir... posso dizer só mais uma coisinha: dá-lhe Narukami-kun!!! (PS: alguém joga RagOnline? O ataque mais poderoso dos Bruxos do jogo a "Ira de Thor" poderia perfeitamente ser lançado por Narukami-Kun... afinal, o Deus que ele representa é o dono deste poder... eheheh... preciso fazer mímica ^O^)



Quando comecei a ver o anime, confesso que toda a poética dos Deuses Escandinavos acabou me fascinando, e me interessei imediatamente pelo anime. O design também ajuda, pois não decai durante a série, em nenhum momento se nota falhas, mas não tem nada de espetacular. A história é boa mas meio vaga, pois não explica muitos acontecimentos, não explica "o porque" das coisas estarem acontecendo, não explica tanto ódio irracional, não explica por que de tantas perseguições, nem Odin sabe o que quer....eheheh. Em suma, o enredo começou muito bom... se perdeu no meio... mas reencontrou um final bem adequado. Mas o desfecho do anime deixou a desejar, é como se alguém gritasse: "eu quero, eu exijo uma continuação!!". Se não fossem essas quedas no enredo, seria um excelente anime, mas desde o início ele mostra a que veio: divertir sem intenção de inovar, e é o que ele faz. No final das contas não é nada de espetacular, mas vale a pena.

PS: Ragnarok é um mito escandinavo sobre o apocalipse, e fala sobre mundos sendo criados e destruídos: significa "o destino fatal dos deuses". É um mundo no qual o drama se desenrola num conflito entre deuses e gigantes, conflito esse no qual os deuses aparecem em franca desvantagem, os "gigantes do gelo" (se refere ao rigoroso inverno escandinavo) são invencíveis. Ragnarok é a batalha final entre os deuses e seus inimigos, liderados pelo renegado Loki. Um por um os deuses caem, embora os monstros e gigantes - inclusive Loki - também morram. Na luta, a Terra e o universo perecem. O Sol e a Lua são engolidos pelos lobos, que os perseguiam desde a criação. A Terra pega fogo e se destrói num novo "big bang". Quase como um detalhe insignificante no decorrer da batalha, a vida e a humanidade são extintas.

Esse é o fim?

Não! De algum modo, uma nova geração de deuses sobrevive. Outro Sol e outra Lua passam a existir, uma nova Terra surge, um novo par humano vem dar continuidade à vida que fôra destruída.

Cátia Nunes


Nenhum comentário:

Postar um comentário