segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Noragami (TV)

Alternativos: Noragami: Stray God
Ano: 2014
Diretor: Koutarou Tamura
Estúdio: Bones
País: Japão
Episódios: 12
Duração: 24 min
Gênero: Ação / Comédia / Drama / Escolar / Magia / Shounen



Quando se fala no Studio Bones, o que vem a sua cabeça? Para muitos curtidores de anime, a simples menção do nome faz lembrar de obras maravilhosas como: Fullmetal Alchemist, RahXephon, Wolf's Rain, Eureka Seven, Darker Than Black, Soul Eater, entre várias outras, que nos fizeram rir e chorar com a mesma intensidade. Todos esses animes possuem histórias inovadoras, com grandes reviravoltas e finais arrasadores. Mas devo lembrar que a maioria dos animes citados já tiveram arcos fechados ou mangás finalizados. Diferente de Noragami, que ainda esta no seu começo: talvez isto explique o “miserê” de episódios e a ansiedade dos fãs pela continuação.

Sim! Noragami é mais uma grata surpresa do Studio Bones. Não! Ele não é inovador! Deuses, demônios, romance, lutas, um fã-service aqui e ali, numa bagunça bem organizada, de modo a nos entreter do início ao final do anime.

Começou a ser escrito em 2010 por Adachi Toka. Nome estranho? Não se assuste, não é uma mas, sim, duas mangakás, sendo que Adachi é responsável pelos personagens e Tokashiki pelo plano de fundo. Foi publicado pela Shounen Magazine e possui um spin-off chamado “Noragami Shuuishuu”, basicamente uma história dentro da história, mas só quem leu o mangá e assistiu ao anime vai entender.

Falando em história, quando se pensa em um Deus da Guerra Japonês, obviamente a primeira imagem que vem à cabeça é de um samurai ensangüentado, com olhar feroz, pronto a cortar cabeças com um saque de espada. Com isso em mente, entra em cena o personagem central da trama de Noragami: Yato,o deus-destruição.

Mas temos um problema: os deuses antigos estão perdendo espaço na era moderna. Sem pedidos de ajuda e orações, com poucos conflitos para administrar (ou detonar, dependendo da situação), como Yato poderia se manter vivo na lembrança das pessoas? Nesse momento entra em cena toda a genialidade da dupla Adachi Toka.


Como você pensaria em chamar a atenção das pessoas nos tempos modernos? Isso mesmo, esse pensamento absurdo que passou de relance na sua cabeça, esse mesmo! Bingo!! Vamos sair pichando muros, paredes, banheiros, portas, tudo o que possa receber tinta spray com um número de telefone e uma mensagem: “Deus Yato a seu dispor, realizo qualquer desejo por 5 yenes”. Não sei para vocês, mas isso me soou meio esquisito. E como se só isso não fosse o suficiente para pensarmos que Yato tem alguns parafusos frouxos, tente imaginá-lo com dentes serrilhados saindo debaixo da sua coberta no meio da noite? Imaginou? É por ai que anda o enredo de Noragami, totalmente insano e idiota. Um Deus adaptado aos tempos modernos, pé-rapado, fedido e pobre, com um único pensamento passando por sua cabeça de vento: “Nenhum trabalho é pequeno demais para um deus”. Afinal, ele tem um sonho: construir um grande templo e ser novamente adorado.

Sempre alegre e divertido, tira de todas as situações o melhor, pois por mais absurdas ou desesperadoras que possam parecer, sempre existe um lado bom. Ele sonha (e baba) em viver como um deus rico, famoso e adorado, com muitas mikus (sacerdotisas) para lhe servir em um templo gigante, coberto de jóias. Assim como a deusa Bishamon (deusa da calamidade), sua rival, e seus Shinkis, seres ou acessórios de formas ambíguas (humana e objeto), cada uma com um poder especial, no qual quanto maior a sincronia com seu mestre, maior é o seu poder. Pausa para um abre aspas - “Bishamon é extremamente violenta e nervosa, mas depois de ver alguns episódios, você vai notar que existe muita bondade por baixo daqueles acessórios de dominatrix” -  fecha aspas.

Yato possui um novo shinki, um garotinho chamado Yukine (Novo? E o antigo, cadê??). Uma alma mal-humorada, saudosa e arrogante de um menino que desejava ter vivido mais, para realizar seus sonhos. Pego em uma avalanche de acontecimentos, Yukine se torna a sekki (katana) de Yato, mas um shinki deve ser forjado a partir de uma alma pura, livre de maldade e desejos mundanos. Mas em total contraste com os shinki de Bishamon, Yukine se mostra incapaz de aceitar seu destino, causando intencionalmente grandes problemas a Yato, Kufuku, Daikoku e Hiyori. Quem são eles? São poucos episódios, mate a curiosidade assistindo.



O enredo segura a atenção, e os seus 12 episódios dão conta do recado. Noragami se desenvolve através de pequenas histórias com um fundo comum, e quem acompanha o mangá vai implorar por uma continuação, já que o anime narra praticamente a mesma história com poucas alterações. E no final.... vai uma garrafa de saquê ai? Ou duas? Ou três?

Cátia Nunes


2 comentários:

  1. Como é bom ter vocês de volta. Nossa, Cátia Nunes. Saudades das suas resenhas.

    ResponderExcluir
  2. Felagund, estar de volta é um prazer.
    Obrigada pela visita! Volte sempre!! =D

    ResponderExcluir