terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Dallos (OVA)

Ano: 1983
Diretor: Mamoru Oshii
Estúdio: Pierrot
País: Japão
Episódios: 4
Duração: 30 min
Gênero: Sci-Fi / Mecha / Ação



Eu poderia citar diversos motivos pelos quais "Dallos" merecia uma resenha aqui no Animehaus já há algum tempo:

-Foi dirigido e roteirizado por ninguém menos que Mamoru Oshii, responsável por animações seminais como "Ghost in the Shell", "Ghost in the Shell 2: Innocence", "Jin-Roh" e por quase todos os animes da franquia "Patlabor";

-Seu diretor de arte, Mitsuki Nakamura, foi responsável pela mesma função em verdadeiros clássicos como "Speed Racer", a série original "Mobile Suit Gundam", além de "Hokuto no Ken" e, acreditem se quiser, o maravilhoso "Nausicaä" de Hayao Miyazaki;

-Masaharu Satou, famoso "seiyuu" com uma longa carreira de personagens coadjuvantes em animes como "Dragon Ball", "InuYasha", "Mobile Suit Gundam", "One Piece" e "Pokémon", realiza aqui seu único trabalho como desenhista mecânico.

-Para quem curte as excepcionais músicas dos jogos da Falcom, um dos compositores da trilha sonora de "Dallos" é Hiroyuki Namba, responsável pelas sensacionais versões com arranjos profissionais de clássicos como "Sorcerian", "YS II" e "YS III".  Namba ainda criou as boas trilhas sonoras de "Armitage III" e "Armitage III - Poly Matrix".

Ainda que todos estes motivos justifiquem esta resenha, há uma razão em especial para que "Dallos" seja considerado um anime de importância histórica: ele foi o primeiro anime de todos os tempos lançado em formato OVA.

Devem estar se perguntando por que isto é tão importante. Até então, animes eram lançados basicamente na TV e nos cinemas. As séries de TV geralmente possuíam uma qualidade de animação mais simples, pois além de serem exibidas semanalmente, possuíam um orçamento apertado: não dava para perder tempo nem dinheiro tentando criar uma animação de melhor qualidade. Filmes para cinema, por outro lado, geralmente eram excelentes nos aspectos técnicos em função dos grandes orçamentos e da grande equipe envolvida. Por esta razão, se não fossem um sucesso de bilheteria, o prejuízo era certo.

Ambos os formatos ainda sofriam com a questão dos cortes ou da censura. As séries de TV deveriam seguir as normas para transmissões televisivas, por isto cenas de extrema violência ou conteúdo sexual forte não poderiam ser exibidas. Nos cinemas a questão era puramente financeira: caso um filme contivesse algum tipo de conteúdo controverso, poderia receber uma classificação R18+ (apenas para adultos de 18 anos ou mais), o que prejudicaria sobremaneira seu sucesso financeiro.

O formato OVA (Original Video Animation) permitiu um meio-termo entre o que era feito para TV e cinema. As animações neste formato eram lançadas diretamente no mercado de vídeo, geralmente com um número menor de episódios, se comparadas às séries de TV. Por esta razão, além de não terem um cronograma apertado de produção, possuíam uma qualidade técnica bem superior à encontrada nas séries de TV. Além disto, não sofriam com os cortes ou censuras tão comuns em séries de TV ou filmes para cinema. Não é à toa que o OVA se tornou o formato preferido para animações com cenas de violência e/ou sexo explícito.


Sem querer estragar a surpresa, já adianto que "Dallos" não é um anime incrível. Possui uma história meio genérica de oprimidos lutando contra os poderosos. No século XXI, houve uma forte escassez de energia na Terra, e a situação só melhorou com a abertura de colônias na Lua, que produziam recursos para suprir as necessidades energéticas do planeta. Estes colonos foram forçados a emigrar para a Lua, não têm o direito de voltar à Terra, usam uma fita metálica identificadora na cabeça e são tratados de forma injusta e preconceituosa pela elite governante que permaneceu na Terra. Liderados por Doc McCoy, um grupo de rebeldes tenta provocar o caos e a anarquia, como forma de estabelecer um diálogo com a Terra, para que sejam tratados como iguais e tenham os mesmos direitos que os habitantes que permanecem no planeta.

Completamente alheio a estes episódios, Shun Nonomura é um rapaz de 17 anos que curte consertar e criar apetrechos mecânicos, para desespero de Rachel, garota que nutre uma paixonite pelo rapaz mas acaba ficando em segundo plano quando Shun mergulha de cabeça em suas bugigangas. Mas em meio a um ambiente tão turbulento, com vários atentados terroristas e ataques a órgãos militares e federais, é difícil manter-se totalmente à parte do que acontece, e é apenas questão de tempo até que Shun e Rachel se envolvam diretamente na luta dos "lunares" pela liberdade.

"Dallos" possui algumas características típicas dos animes do início dos anos 80, como o uso de células deslizantes para gerar ilusão de movimento; trilha sonora eletrônica à base de instrumentos sampleados e, muito provavelmente, do recém-lançado Yamaha DX-7; desenho de personagens que remete a obras da década de 70, como "O Pirata do Espaço"; narrativa mais baseada na ação do que no drama. Nem tudo funciona às mil maravilhas: os efeitos sonoros são risíveis em algumas partes; a montagem tem um ritmo estranho, truncado, pulando de uma sequência para outra de forma abrupta; um abuso de diálogos expositivos e repletos de informações que pintam do nada, de forma absolutamente forçada; ocorrem algumas coincidências e burrices que chegam a doer; e as músicas são bem fraquinhas, destoando completamente do que acontece em algumas cenas, mais lembrando trilhas sonoras de filmes pornôs... oops, falei demais! :P

Os personagens não fedem nem cheiram, sendo representações meio batidas já vistas em várias obras. Shun é o rapaz ingênuo e de bom coração que acorda para a realidade e resolve lutar pela justiça; Rachel é a mocinha alienada que quer apenas ser feliz ao lado do seu amor, mas que também acorda para a realidade e resolve lutar pela justiça. Alex Riger é o líder militar da Terra na Lua, desdenha de tudo o que está ligado à Lua e seus habitantes, mas com o tempo acorda para a realidade e resolve lutar pela justiça. Melinda Hearst, noiva de Alex, chega à Lua apenas para visitar o amado, mas se torna peça-chave na luta entre "terráqueos" e "lunares" - logicamente, com o tempo acorda para a realidade e resolve lutar pela justiça. Enfim, já deu para terem uma idéia do que estou tentando explicar. :)

E, afinal, o que é Dallos? A sensação é mais ou menos a mesma que acontece em "Akira" - não no mangá, mas no longa-metragem -, em que o personagem-título praticamente não aparece e não tem importância vital no enredo. Dallos é uma entidade mecânica misteriosa incrustada em uma cratera lunar, é considerado um Deus pelos "lunares". Mas por que Dallos é tão venerado? Qual o seu verdadeiro poder? É realmente uma máquina? É uma divindade? Se descubrirem, me avisem, porque depois de muita conversa e efeitos pirotécnicos, Dallos permanece sendo uma incógnita.

Mas "Dallos" possui muitos pontos positivos, especialmente pelo fato de ter sido lançado no formato OVA. O desenho mecânico no geral é excelente, e como a animação das cenas de ação é fantástica na maior parte do tempo (por favor, lembrem-se que é uma animação de 1983), isto gera sequências de tirar o fôlego, especialmente no último OVA. A ausência de censura permitiu ainda a criação de algumas cenas marcantes de mortes, explosões e mutilações que nunca apareceriam numa série de TV. E apesar dos personagens serem individualmente meio clichês, os rebeldes como um grupo foram representados de forma mais realista: possuem motivações justas, mas não são santos, estando dispostos a matar e morrer pela causa que defendem, o que leva a embates muito, muito sangrentos.



"Dallos" pode não ser um anime memorável, mas está longe de ser uma obra ruim. Tentem não se ater demais ao enredo e aos personagens, se concentrando mais nas sequências de ação e no impacto inesperado de algumas sequências. E só o fato de ser o primeiro anime lançado em formato OVA já faz de "Dallos" um anime obrigatório, pelo menos em termos históricos. Vale lembrar que além da versão original com 4 OVAs, ainda existe o "Dallos Special", que é simplesmente uma compilação dos OVAs em um único longa-metragem.


Marcelo Reis


 

2 comentários:

  1. Eu lembro que na época eu dei 5 para ele. Achei medíocre, acho que pela falta de explicação do que é Dallos de fato. Não gosto quando uma obra propõe uma ideia e não a desenvolve e não explique-a. Eu posso propor milhares de ideias aparentemente interessantes, mas sem desenvolvê-las, e ficar por isso mesmo. Acho isso muito fácil. Agora, se a ideia original era deixar esse gostinho de mistério, acho que falharam miseravelmente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com seu comentário, pois Dallos é realmente um anime mediano em praticamente todos os aspectos. Como eu disse na resenha, vale pelo caráter histórico de ser o 1º OVA e por algumas cenas bem sangrentas mas, fora isto, não tem muita coisa digna de nota.

      Excluir