quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Ippatsu Kikimusume (TV)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 18/09/2009

Alternativos: Ippatsu Kiki Musume, Dangerous Girl, Miss Critical Moment
Ano: 2006
Diretor: Hiroyoshi Yoshida
Estúdio: Group TAC
País: Japão
Episódios: 16
Duração: 4 min
Gênero: Comédia /Adulto



Ippatsu Kikimusume é uma série de episódios curtinhos produzidos em 1999. É uma animação de comédia escrachada e nonsense, com forte teor sexual e repleta de situações esdrúxulas.

A personagem principal é Kunyan, uma menina parecida com a Chun-Li e com predisposição para deslocar as juntas (?!). O grande talento de Kunyan é se meter em confusões, a partir de situações geralmente comuns, de um jeito completamente louco, e sair de maneiras piores ainda! As outras personagens são Linda, uma americana loira que só fala de sexo e consegue escapar das situações malucas a partir de suas experiências sexuais (sim, é isto mesmo) e Naja, uma morena de óculos que não faz praticamente nada nas esparsas vezes em que aparece. Há também uma cobra, um velho tarado, e mais outros personagens que aparecem em apenas um episódio. Nenhum personagem da série se destaca, com a exceção de Linda, tentando salvar o “orgulho americano” e com suas referências a sexo.

A animação é péssima. Horrível mesmo. É quase um show de slides, com a tela parada e as bocas mexendo ou coisas do gênero. Os momentos de ação devem ter um fps de uns três quadros por segundo, e isto em uma série de 16 minúsculos episódios. As personagens ficam com os rostos deformados o tempo todo, ficando horrendas de tanto que o traço é amador. Um dos únicos ponto a favor, a meu ver, é a utilização de fotos e vídeos de coisas reais. Ficaram engraçadas, e é algo raro no mundo da animação. Eu só me lembro de ver isto em Bob Esponja e em Family Guy. São na maioria ceninhas explicativas dos problemas que a Kunyan se meteu. Falta verossimilhança, mas aí está a graça de tudo.

A parte de som do anime varia muito. A abertura é uma mistura de animação com clipe da banda que canta, e ficou muito bem feita.  Além da música ser muito divertida. O encerramento mais “paulera” combina muito bem com o anime, e cai perfeitamente nas cenas mais “marcantes” do anime. Já a música durante o episódio... é tão importante que muitas vezes está ausente. E quando está presente, são batidinhas genéricas que todo mundo com certeza já ouviu antes. Ou seja, a música é mais um ponto fraco.


Ippatsu Kikimusume abusa do fan-service. As personagens ficam boa parte do tempo nuas ou pelo menos com os seios a mostra. Mas é interessante que o fan-service está lá por si só, porque não há cenas sensuais neste anime. Só a velha nudez de sempre. Nada de sexo ou nem mesmo beijos. Na verdade, se você achar algo de muito sensual neste anime, você tem grandes chances de precisar de um psicólogo, e urgente.

Quanto ao roteiro, ele é meio que... inexistente. Não há nenhuma história de fundo, nenhum objetivo dos personagens, nada. São apenas pequenas historinhas de como a Kunyan se mete em confusão e como ela sai destas encrencas. É interessante que na maioria das vezes ela quase morre. As situações são as mais inusitadas possíveis. Como quando Kunyan desloca as juntas dos ombros e das pernas numa sauna, uma seção de meditação que provoca um incêndio e uma luta contra uma píton gigante, nada é estranho demais para esta obra. E as escapadas são muito, mas muito bizarras mesmo. Só pra citar dois exemplos, Kunyan tenta apagar um incêndio com sangramento nasal e Linda escapa de um afogamento com sumata, uma técnica sexual. E estes exemplos nem são os mais marcantes, muito pelo contrário: se quiser ver as loucuras mais  pesadas e bizarras, só assistindo mesmo.

Se por um lado não há nenhuma continuidade, por outro os pequenos episódios (separados por uma vinheta esquisitona) são loucos o suficiente para nos incentivar a assistir os próximos. E assim não há o problema da série terminar num romance piegas, algo bem comum em meio às comédias. Ippatsu Kikimusume se dedica à comédia durante todos os seus minutos, e é uma obra de um gênero só. Algo raro no mercado de animações.

Algo legal são as explicações que aparecem, em geral com equações de física e gráficos para ilustrar a situação. Vendo deste modo, Ippatsu Kikimusume funciona como uma zoação (e crítica) aos animes onde os personagens escapam de situações perigosas de modo forçado. E isto é muito, muito comum. De todo modo, as explicações muitas vezes são engraçadas por si só, como na comparação entre a quantidade de sangue que uma pessoa aguenta perder e garrafinhas de leite. Parece haver uma crítica também nas ações exageradas de Kunyan, e na sua persistência e conclusões idiotas. Mas aí já seria levar este anime a sério demais ^^ O que importa é que esta obra faz rir bastante, e tem cenas viajadas o bastante para bater de frente com muito Cat Soup por aí.



Ippatsu Kikimusume é um anime ímpar, sendo muito criativo e original em alguns pontos e um desastre em outros. Mas como ele não tenciona de maneira alguma mudar o mundo, assisti-lo pode ser uma experiência. Parece bastante com os programas de humor japoneses, que se assiste pelo Youtube ou pela TV a cabo. Ou seja, requinte zero e criatividade 1000. Vale lembrar que este anime não é recomendado para crianças, nem para pessoas sensíveis ou muito sérias. As cenas com fortes presenças de sangue e conteúdo sexual podem chocar muita gente. Caso você não se importe com isto, divirta-se.

Heider Carlos


Nenhum comentário:

Postar um comentário