quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Lupin III: Blood Seal - Eternal Mermaid (Especial)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animebook em 26/08/2013

Alternativos: Lupin the III: Chi no kokuin - eien no mermaid
Ano: 2011
Diretor: Teiichi Takiguchi
Estúdio: Telecom Animation Film, Nippon Animation
País: Japão
Episódios: 1
Duração: 90 min
Gênero: Ação / Comédia



Um novo especial para TV de Lupin III chegou comemorando os 40 anos desde a exibição da primeira série animada. Um feito pra poucos, ainda mais se considerarmos que a franquia tem pelo menos uma obra lançada por ano. E com novos dubladores - uma boa notícia para os que querem a continuidade da franquia, afinal os dubladores originais já chegaram na terceira idade faz tempo ^^

O Lupin III é descendente do maior ladrão do mundo, e ele mesmo é o mais famoso ladrão de sua era. Acompanhado de Jigen - um exímio atirador -, Goemon - um fabuloso espadachim - e da sedutora Fujiko, há pouco que ele não consiga fazer. Mas quando Fujiko é sequestrada por uma bandida chamada Toudou Masae ele é chantageado a roubar uma joia conhecida como Escama de Sereia.  A joia é uma das chaves para um tesouro antigo de uma monge budista que conseguiu viver 800 anos ao comer carne de sereia.

Mas Masae é assassinada e Lupin III percebe estar dentro de um jogo bem mais perigoso do que pensava. E no meio de toda a bagunça ele acaba ganhando uma fã: a jovem Maki, que quer que Lupin III a ensine a ser uma ladra. Ela pede ajuda para roubar sua “irmã”, Misa, que foi sequestrada pelos assassinos de Masae.

A trama começa boba e vai se complicando. Quando tudo parece muito desconexo o especial habilmente junta as pontas soltas. Mas infelizmente conforme ruma pro final tudo vai ficando mais fantasioso e perdendo o sentido. Há elementos de fantasia e ficção-cientifica desde o começo da série, mas Blood Seal parece ter perdido o controle e ido um tom acima do que se espera da série.

Lupin III usa casaca vermelha, mas o traço bem lembra mais a primeira série que o Lupin alto e desconjuntado da segunda. Há muitas mortes e sangue, perseguições desenfreadas, armadilhas mortais e tudo que os fãs gostam. É bom ver que o personagem não se rende ao politicamente correto. Um retorno aos ladrões que matam e não tem escrúpulos. Há muito sangue também. Como contraponto a este lado sombrio temos Maki e Misa, duas jovens muito simpáticas e que levam o especial para um lado mais sentimental. Maki em especial rouba as cenas em que aparece, e seria ótimo vê-la novamente na franquia, o que infelizmente não deve acontecer.

A animação é muito boa e consegue manter o clima antigo sem parecer feia ou datada pelos padrões atuais. Mas há alguns efeitos de cg que parecem deslocados e desnecessários. Muitas das músicas são recicladas, apenas interpretações novas de velhos temas. As inéditas fogem um pouco do estilo da série, mas são canções de qualidade.

Há novos dubladores para Zenigata, Fujiko e Goemon. E todos eles fazem o trabalho muito bem. Claro que soa diferente dos dubladores originais, mas são profissionais de alto nível. Zenigata em particular está ainda mais divertido :D É questão de costume mesmo.



O especial não traz nada realmente novo, mas isso talvez seja intencional. Introduzir novos dubladores numa franquia de décadas em um filme mais ousado poderia ser desastroso. Mas do jeito que foi feito a mensagem é clara: e a franquia tem uma vida longa e próspera pela frente, mesmo que o pessoal que trabalhou nas obras mais antigas acabe partindo por um motivo ou outro. O futuro parece promissor.

Heider Carlos


Nenhum comentário:

Postar um comentário