quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Lupin III - O Castelo de Cagliostro (Movie)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 11/02/2011

Alternativos: Lupin III: The Castle of Cagliostro, Rupan Sansei: Cagliostro no Shiro
Ano: 1979
Diretor: Hayao Miyazaki
Estúdio: Telecom Animation Film, Tokyo Movie Shinsha
País: Japão
Episódios: 1
Duração: 100 min
Gênero: Aventura / Comédia



Lupin III (lê-se Lupan Terceiro) é uma serie muito famosa no oriente. O mangá, de Monkey Punch (pseudônimo de Kazuhiko Kato), trata das desventuras do personagem-título e sua gangue. Neto do famoso ladrão Arsène Lupin, criação do escritor Maurice Leblanc, Lupin III é um ladrão com estilo. Gosta de se mostrar e, no fundo, é uma pessoa bondosa e romântica. Seu maior aliado é Daisuke Jigen, um experiente atirador. É tão relaxado quanto Lupin. Frequentemente aparece fumando e reclama dos planos mais ousados do amigo. Mas, como não podia deixar de ser, participa mesmo assim.

Há o samurai Goemon Ishikawa XIII, contrastando com Lupin e Jigen. É muito mais calmo e sério que os companheiros. Tem um código de honra rígido, mas que não o impede de participar dos grandes furtos ou operações de Lupin. Porta uma espada que consegue cortar qualquer coisa, embora muitas vezes fique relutante em usá-la, por ter que cortar coisas que não sejam dignas da arma. Os três são grandes aliados, não raramente arriscando a vida uns pelos outros.

Há também Fujiko Mine, a sensual "femme fatale". Possui uma relação complexa com Lupin, ora amantes, ora competidores. É uma ladra e lutadora habilidosa, se alia a qualquer um que a ajude a alcançar suas ambições, e não hesita em usar sua aparência para conseguir o que quer. E por último, há o inspetor da Interpol Koichi Zenigata, que dedica a vida a capturar Lupin. Ele não é um completo incompetente, mas Lupin quase sempre consegue passá-lo para trás.

Todos estes personagens devem estar entre os mais carismáticos já criados. A química entre eles é perfeita. E o filme Castelo de Cagliostro adiciona mais tempero à mistura: a senhorita Clarisse d'Cagliostro, bela e inocente princesa do país, de casamento marcado com o Conde, governante de Cagliostro e o homem por trás das "notas do bode", a maior rede de falsificações de dinheiro do mundo.

Existe um problema muito comum em algumas obras, normalmente apelidado de "sindrome do recomeço". É uma série, jogo ou animação voltar sempre ao mesmo ponto. O capitão Kirk vai sobreviver a um novo ataque Klingon porque senão não haveria um próximo episódio de Star Trek, por exemplo. Lupin III sofre com isso, mas os personagens são tão simpáticos e interagem tão bem entre si que este problema acaba virando uma vantagem. Essa falta de linearidade faz com que os episódios, OVAs e filmes possam ser assistidos fora de ordem, o que é uma benção pra uma série tão grande.

O filme começa com um bem-sucedido roubo de Lupin e Jigen a um cassino. Enquanto fogem com o dinheiro, Lupin percebe que são notas falsas. São as chamadas "notas do bode", que vêm do Principado de Cagliostro, o qual Lupin perseguiu quando era um ladrão iniciante - o que quase resultou na sua morte.

Enquanto consertam o pneu furado do carro, eles são ultrapassados por uma jovem vestida de noiva dirigindo em alta velocidade, fugindo de homens armados. Lupin resolve ajudá-la, mas ela acaba sendo levada após o ladrão perder a consciência por causa de uma pancada na cabeça. Lupin decide então libertar a tal moça, que é a princesa de Cagliostro, e manda um pedido de ajuda a Goemon, e uma carta desafiando Zerigata a prendê-lo. Eles descobrem que o conde quer se casar com Clarisse para colocar as mãos em um antigo e misterioso tesouro da família Cagliostro. E é a partir daí que o filme se desenrola.

Castelo de Cagliostro sabe alternar perfeitamente a realidade e a fantasia. As cenas de ação são exageradas, mas conseguem passar uma boa noção de perigo. Outra coisa impressionante é como o clima muda de cena em cena, muitas vezes de maneira brusca, mas ainda assim convincente. Uma cena romântica se transforma em tensão, uma cena de tensão se transforma em comédia. Tudo muito bem feito.

Quanto aos efeitos sonoros e músicas, são simplesmente perfeitos. Cada música casa perfeitamente com o momento, e ajuda a passar a emoção da cena de maneira magistral. Não importa se é em uma fuga, combate ou cena mais emotiva. O efeito final é soberbo, só assistindo mesmo para entender.

A parte gráfica é muito bem feita. É um filme de 1979, e isso deve ser levado em conta. O design dos personagens costuma mudar entre as animações do Lupin, mas o traço é bem agradável. Os cenários são bem detalhados, e possui um realismo impressionante em armas, roupas, etc. O filme se passa praticamente todo no Castelo de Cagliostro e nas proximidades, mas ainda assim, há uma boa variedade de cenários. Torres elevadas, lagos, florestas, torre de relógio, salas antigas, masmorras, quartos subterrâneos. Está tudo lá, o que acaba resultando nas mais variadas cenas de ação. Em alguns casos, principalmente quando há lutas com muitos personagens, a animação deixa a desejar. Mas nas fugas e batalhas mais importantes, tudo flui muito bem, e o resultado geral é bem satisfatório.

O roteiro é bem clichê, o clássico resgate da princesa. Não sai muito desta simplicidade, com algumas tramas acontecendo no fundo, mas nada muito complexo. Não que o filme precise de mais profundidade. A força está na interação entre os personagens e nos diálogos, e nesse ponto Castelo de Cagliostro cumpre muito bem seu papel. E há algumas boas surpresas, como o tesouro de Cagliostro.

O DVD nacional tem alguns problemas graves. O audio japonês é somente mono, enquanto o brasileiro é 2.0 e o inglês possui audio 2.0 e 5.1. Não dá para alterar a faixa de áudio no meio do filme. Possui também quatro propagandas contra a pirataria, de 30 segundos cada, que não podem ser puladas. O único jeito de não assistí-las é escolhendo a primeira cena e começando o filme por lá. É um problema chato, que poderia ser facilmente evitado e que infelizmente se encontra em boa parte dos DVDs nacionais.

Por outro lado, o DVD tem ótimos extras. Uma entrevista de meia hora com o diretor de animação, Yasuo Otsuka, já com 75 anos, que reclama muito e dá algumas opiniões bem polêmicas. Fora isso, há uma galeria de fotos, que eu acredito ser amostras de arte da produção, e um storyboard com áudio e legenda. Imperdível para estudantes ou qualquer um que gosta de ver como animações são feitas.



Lupin III - O Castelo de Cagliostro é um ótimo filme, e uma ótima iniciação à série. Possui um carisma enorme, não é pretensioso e certamente sabe entreter. Mas se estas qualidades não te convenceram, vale a pena assistir pelo valor histórico. A série é muito cultuada no Japão e tem como fãs declarados pessoas do nível de Shinichiro Watanabe, diretor de Cowboy Bebop. E este filme é especial por ter sido dirigido por ninguém menos que Hayao Miyazaki, co-fundador do Studio Ghibli e diretor de filmes como Nausicaa e A Viagem de Chihiro, um dos animadores mais respeitados de todos os tempos.

Heider Carlos


Nenhum comentário:

Postar um comentário