quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Pokemon 4Ever (Movie)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 31/12/2008

Ano: 2001
Diretor: Kunihiko Yuyama
Estúdio: OLM
País: Japão
Episódios: 1
Duração: 76 min
Gênero: Ação / Aventura / Comédia



Pokémon 4Ever é o quarto filme da franquia, dirigido por Kunihiko Yuyama e produzido pela Shogakukan, com animação a cargo da Oriental Light and Magic (OLM).

Todo filme de Pokémon começa com um curta onde só os Pokemons têm participação ativa, com os humanos aparecendo por instantes apenas e sem mostrar o rosto. Mas o DVD que possuo não têm. Segundo fontes na internet, o curta foi lançado no Japão mas não nos EUA e no Brasil, o que é uma pena.

A história é a seguinte: um garoto chamado Sammy e que adora desenhar Pokemons passeava pela floresta quando ouve um barulho estranho e resolve averiguar. O que ele vê é um raro Pokemon, conhecido como Celebi, mas ele acaba sendo perseguido por um inescrupuloso caçador de Pokemons, que possui um Sneasel e um Houndoom. O garoto tenta ajudar o pequeno Pokémon, que não vê alternativa senão transportar a si e a seu protetor para o futuro. No futuro eles são encontrados inconscientes por Ash, Misty e Brock. Mas um membro da Equipe Rocket chamado Máscara de Ferro descobre que o Celebi veio para o futuro e resolve tentar capturá-lo. A história se desenvolve num ritmo bom, com humor, ação e drama na medida certa. Há revelações, como a existência de Bola das Trevas, pokebolas que capturam qualquer Pokémon sem que o mesmo possa tentar resistir, evoluem-no até seu último nível e o tornam maligno, e o roteiro mantém certa dose de suspense. O final é interessante e surpreendente de certo modo, e o roteiro foi elaborado pensando nos detalhes também (as pokebolas do passado são muito engraçadas! Dá até dó dos pokemons, imaginem o medo de levar uma delas na cabeça!). O roteiro não apresenta pontas soltas e não apela para um sentimentalismo doentio. Talvez você já esteja enjoado de defesas ambientais, mas Pokemon 4ever foi lançado um pouco antes desta onda toda de defesa global e tudo mais.


O único problema que vejo na história é que ela me lembra demais Mononoke Hime. Pode ser só paranóia minha, mas acho que tem um pouco de plágio neste movie.

A versão japonesa está diferente da americana (e, conseqüentemente, da nossa). A versão que eu assisti é a brasileira mesmo, legendada por que tenho certo preconceito contra dublagens mas, ainda assim, modificada. A única diferença entre as versões dos filmes que eu consegui achar na internet é a presença de Tracey na japonesa, então acho que a mudança não foi tão grande como aconteceu no primeiro filme.

Os personagens antigos continuam iguais à serie, ou seja, muito sem-graça. O destaque é Sammy, idealista e delicado, mas que infelizmente vai perdendo espaço conforme o filme avança. Celebi também é muito interessante, pois é tratado mais como uma força da natureza do que como um pokemon. De resto, os outros personagens não ganham (nem merecem) nenhum destaque. Os vilões são bem caricatos, mas tem Pokemons interessantes. Máscara da Morte possui um Tyranitar e um Sneasel. Apesar de não existirem Pokemons malignos na naturesa, alguns têm uma aparência mais sombria e são classicamente propriedades de vilões.

A animação está bela, bem trabalhada e flui com naturalidade. Não há queda nesta qualidade durante todo o filme, os personagens estão muito bem trabalhados, tanto em expressões quanto em movimentos. O uso de recursos CG neste anime ora produz cenas belíssimas, como quando Celebi vai se teleportar pela primeira vez, ora destoa tanto do resto de cena que não dá pra entender por que foram utilizados. Mas de modo geral, o filme é muito bonito e bem acabado, o que virou padrão nos filmes de Pokémon. As cenas onde aparece Suicune, em especial, são maravilhosas.

O áudio também está muito bem trabalhado, com uma dublagem bem feita e efeitos sonoros convincentes. As músicas seguem o mesmo estilo de sempre, com melodias e ritmos simples.



O filme em si é bom, sim, recomendado não apenas para fãs de pokemons, como para todo mundo que queira ver algo mais leve, diversão simples e descompromissada. Está um nível acima da série televisiva. Focar-se mais nos personagens do que nas batalhas foi um acerto cometido no filme anterior e repetido neste. Se a série se focasse na qualidade e não na quantidade, poderiamos ter mais surpresas agradáveis como este filme.

Heider Carlos


Nenhum comentário:

Postar um comentário