quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Pokémon (TV)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 04/07/2008

Alternativos: Pocket Monsters
Ano: 1997
Diretor: Masamitsu Hidaka
Estúdio: OLM
País: Japão
Episódios: 276
Duração: 25 min
Gênero: Aventura / Fantasia / Comédia



Para quem não sabe, Pokémon se divide em três series: a chamada "Original Series", que vai da primeira até a quinta temporada e mostra a jornada de Ash Ketchun através dos continentes de Kanto e Johto, e no arquipélago das Ilhas Laranja; "Pokemon Advanced Generation", que vai da sexta à nona temporada e conta as aventuras de Ash, Brock e os irmãos May no continente de Hoenne e, depois, em Kanto novamente, no desafio "Battle Frontier"; e a última, que é chamada "Pokemon Diamond & Pearl", com Ash, Brock e Dawn no continente de Dawn contra a organização "Team Galact". Há tambem os "spin-off" "Pokemon Chronicles" e alguns episódios comemorativos. Este "review" trata exclusivamente da primeira série, senão ficaria ainda mais quilométrico do que ficou.

Pokemon surgiu a partir da idéia de um programador japonês chamado Satoshi Tajiri. Imagine um jogo no qual você pode capturar e treinar seus inimigos? Satoshi se uniu a seu amigo designer Ken Sugimori e produziu o jogo "Pokémon Red & Green" em 1996. Este foi o começo de uma franquia que dura até hoje, com os mais diversos produtos imagináveis, desde o anime e os filmes até mangás, comidas, ursos de pelúcia, jogos, chaveiros e outros apetrechos. Os mais famosos (e lucrativos) são os jogos de RPG para videogames portáteis, e o anime, que se encontra na 11a temporada.

Pokemons são criaturas que têm os mais variados poderes e formas, convivem com humanos e evoluem para formas mais poderosas ao ficarem mais experientes, normalmente através de batalhas. Os pokemons são classificados por tipos, como dragão, inseto, venenoso, etc. Não há animais "normais" no mundo de pokemon, embora se possa achar equivalências como bisões e o pokemon Tauros, ou lagartas e o pokemon Caterpie. É interessante também observar que nunca há mortes no universo Pokémon. Pokémons que perdem em batalhas simplesmente ficam nocauteados e se recuperam no Centro Pokémon mais próximo, uma espécie de hospital exclusivo destes bichinhos. Como o desenho é notavelmente voltado para crianças, é um esforço louvável evitar uma violência desnecessária, algo tão comum nos animes.

Vamos à história em si. O anime conta as aventuras de Ash Ketchun, o qual, ao completar 10 anos, sai de casa para ganhar seu primeiro pokemon. Só que ele dorme demais e, quando chega à casa do Professor Carvalho para escolher o seu, os pokemons mais comuns já haviam sido escolhidos. Sobra apenas um que o Professor Carvalho, maior especialista em pokemons do mundo, diz ter um pequeno problema. Este pokemon é um pikachu chamado Pikachu (dãããã...), um rato elétrico amarelo que é mau humorado e não se dá muito bem com humanos. Isto porque os pokemons são guardados dentro de instrumentos chamados pokebolas para poderem ser mais facilmente capturados e tranportados, e Pikachu odeia ficar dentro de uma pokebola. Ash resolve ficar com ele mesmo assim, e embora no começo ele se dêem mal, conforme o tempo passa se tornam grandes amigos. A história de Pokémon se resume a Ash, com seus acompanhantes, tentando ganhar insígnias para competir em algum campeonato para, um dia, poder alcançar seu sonho. Tem a Equipe Rocket, organização maligna que rouba pokemons raros para atrapalhar, mas é só isto. Eu não conseguiria cometer um grande "spoiler" sobre a série nem se tentasse, pois nunca acontece nada realmente importante. Os temas usados são geralmente amizade, companheirismo e respeito, mas sempre tratados de modo infantil e piegas. Ainda bem que – mesmo que raramente – a situação muda, e em alguns episódios você se deixa cativar por alguns problemas sofridos pelos personagens ou seus pokemons.


Há outros personagens importantes. Além do Professor Carvalho já citado, merecem ser lembrados Misty, uma menina que sonha em se tornar a maior treinadora de pokemons de água do mundo; Brock, que almeja se tornar um grande criador de pokemons; Tracey, um treinador que adora desenhar pokemons; Jessy, James e Meowth, membros da Equipe Rocket que querem roubar o Pikachu a qualquer custo, pois ele é muito mais poderoso que os membros normais da sua espécie. James é um homem que age como mulher, Jesse é uma mulher que age com um homem e Meowth é um Pokémon que aprendeu a falar a linguagem humana. É interessante notar que só há uma língua humana e uma língua Pokémon em todo o universo Pokemon, e que todos os humanos se comunicam entre si perfeitamente, não importa de que continente sejam, o mesmo acontecendo com pokemons de espécies diferentes. Os personagens deste anime fogem dos estereótipos de perfeição de desenhos infantis. Ash é cabeça-dura, Misty é convencida, e por aí vai. Todos têm pequenos defeitos que os tornam mais verossímeis. O desenho é focado nas batalhas entre pokemons e no humor pastelão presente em todos os episódios.

O destaque, e maior virtude da série mesmo, são os pokemons, e existem muitos deles! O problema é que muitos não têm nem um pingo de carisma, ou são mal aproveitados. Parecem estar lá só por estar mesmo, não tendo nenhum papel importante, algo que poderia ser muito diferente com esta quantidade gigantesca de episódios. Mas verdade seja dita, há muitos que cativam, como a simpática Chicorita ou o animado Charmander. Não há como não escolher um favorito.

Um dos problemas da série é o Pikachu. Não que ele seja irritante, longe disto. É que, no começo da série, ele tem um papel de destaque, mas conforme vai ficando mais poderoso, ele vai desaparecendo das batalhas, até que chega a se passar vários episódios sem nenhuma participação destacada daquele que deveria ser um dos protagonistas. Ash parece ter medo de pokemons poderosos, pois sempre que algum dos seus fica poderoso, ele dá um jeito de abandoná-lo. Pra que treiná-los então?

O gráfico e os sons não são impressionantes, algo já esperado com toda esta quantidade de episódios. Tudo é muito parado e, na maioria dos casos, só a boca mexe. Pelo menos o "character design" fez um bom trabalho, com traços limpos e precisos. Os pokemons são bem diferentes entre si, e haja criatividade para inventar tantos. O desenho em geral é muito colorido, o que é bem comum em animes voltados para um público mais jovem. A trilha sonora é muito repetitiva e não merece destaque em nenhum momento. Outro ponto negativo são as batalhas. Até que algumas são empolgantes, mas o problema é que praticamente todo movimento é comentado em voz alta depois! É como se a batalha realmente fosse em turnos, como nos jogos de videogame. O inimigo fica lá parado esperando o outro treinador bolar um plano e dar uma ordem ao seu pokemon, que obrigatoriamente vai ser comentado como sendo genial ou ridículo pelo mais inteligente da turma.

Mas nenhum defeito chega sequer aos pés da mesmice de Pokémon. Tudo se repete indefinidamente. É sempre Ash tentando juntar oito insígnias para ir a alguma competição, tudo se desenrolando de modo tão lento que daria tédio a uma lesma. E a Equipe Rocket com seu tema? Todo episódio é a mesma música cantada por eles mesmos quando aparecem em cena, e o mesmo bordão quando são invariavelmente derrotados. Quando se assiste a estas cenas por mais dezenas de vezes, irritante se torna uma palavra irrisória perante ao que se sente. A participação deles é normalmente muito forçada, servindo apenas para um alívio cômico mesmo.

Uma coisa que eu acho interessante em animes é se indagar sobre detalhes que não são cobertos pelo roteiro, e Pokémon está cheio deles. Todo mundo em Pokémon é vegetariano? Ou há açougues que matam Taurus? Há restaurantes especializados em carne de Goldeen? E mesmo os vegetarianos, eles comem bellproutes? Pokemons matam uns aos outros, formando uma cadeia alimentar? Se não, como eles se alimentam? Se forem herbívoros, podem comer pokemons tipo planta por acidente? E porque não usar pikachus para gerar energia elétrica a baixo custo e abastecer as cidades, ou usar um Totodile para economizar na conta de água? As pessoas do mundo Pokemon parecem não ter um senso muito prático das coisas...


Não acredito que alguém além de crianças e saudosistas possam se interessar pela série. Não por muitos episódios, pelo menos. O humor é interessante, bem idiota mas bem divertido também. Os pokemons são legais, e o desenho é bem levinho. É uma série infantil razoável, e só. Minha dica é desistir do anime e ir para os filmes. Ou para os jogos. Especialmente os de RPG, que conseguem ser simples e divertidos. Algo que o anime faz bem, mas não com a mesma maestria.

Heider Carlos


Nenhum comentário:

Postar um comentário