quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Sex Friends (OVA)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 28/11/2009

Alternativos: Sexfriend
Ano: 2004
Diretor: Kurige Katsura
Estúdio: Anime House
País: Japão
Episódios: 2
Duração: 30 min
Gênero: Hentai / Adulto


Sex Friends são dois OVAs de meia hora cada, lançados em 2004, baseados num jogo hentai e que fizeram um sucesso razoável no mercado de hentais.

Os personagens são Takabe, um jovem colegial comum, do tipo que existe às toneladas no Japão; Hayase, uma ruiva inexplicavelmente atirada e reservada ao mesmo tempo (e este fato acaba com a credibilidade da personagem); Kaori, uma aluna que trabalha na biblioteca, ou pelo menos parece, e é tímida de verdade e louca pelo Takabe; e finalmente a Taeko, enfermeira bem mais velha que os outros e que trabalha na escola. Tá, eu sei que você já adivinhou que o Takabi transa com todas e elas transam entre si mesmas também. Hentai normalmente é igual a um monte de clichês de fetiches masculinos comuns, e este não é uma exceção, embora seja um pouco mais feminista que seus companheiros de gênero.

A história é bem simples e sem grandes surpresas ou revelações. Na verdade, sem nenhuma surpresa ou mudança de rumo. Hayase usa Takabe para se livrar de um antigo "admirador", e pouco depois disto o chama pra uma "rapidinha". Bem, ela considera Takabe um "sex friend" (amigo pra sexo), ou seja, um amigo com o qual ela transa por diversão e sem nenhum compromisso. Este conceito é interessante, e uma explicação bem mais plausível que as ondas de excitação que inexplicavelmente acometem as pessoas nos hentais, mas pouquíssimo explorado no decorrer do anime. O que é uma pena, pois o tema tinha potencial. Os dois fazem sexo na sala da Taeko, amiga íntima de Hayase e que sabe do que acontece e até aprova. Embora eles transem em outros lugares também, a sala da enfermeira é a mais comumente usada. Ela quer transar com o Takabe também. E tem a Kaori, que Takabe pega se masturbando fantasiando com ele na biblioteca. Estes são praticamente os únicos personagens a aparecer no anime. Há certo desenvolvimento da personalidade deles no decorrer do anime, mas nada muito significativo ou marcante.


Na parte técnica o anime é superior aos hentais em geral, o que não é grande coisa. Os movimentos são precários, normalmente com só um pedaço da cena se mexendo, ou com as cenas estáticas quando não está havendo sexo. Em compensação, o "character design" é muito belo e o jogo de cores é de particular bom gosto. Os traços dos personagens são harmoniosos, embora nem um pouco criativos. Este hentai não apela para as distorções tão comuns do gênero, apresentando personagens mais perto do padrão humano normal e mais longe da aparência atriz/ator pornô. O som se constitui basicamente de musiquinhas instrumentais calminhas, já clássicas em obras com conteúdo pornográfico. Ou seja, é totalmente esquecível. A dublagem, por outro lado, está muito boa, mas os efeitos sonoros são quase inexistentes. Resumindo, o quesito técnico cumpre seu papel, mas não se destaca em nada.



O final é divertido, embora nem um pouco (sabe o que é nada? então, menos ainda) surpreendente. É um hentai padrão, que acerta por não apelar para bizarrices nem tentáculos (eca), e cumpre o papel de excitar e divertir. Se você gosta do gênero, é uma grande pedida. Se não, então passe longe. Definitivamente não é para você.

Heider Carlos


2 comentários: