domingo, 30 de outubro de 2016

Fairy Tail (TV)

Ano: 2011
Diretor: Shinji Ishihira
Estúdio: A-1 Pictures; Satelight
País: Japão
Episódios: 175
Duração: 24 min
Gênero: Ação / Comédia / Drama




Fairy Tail (FT) é a adaptação do mangá homônimo escrito por Hiro Mashima (autor de Groove Adventure Rave e Monster Hunter Orage) e publicado na Shounen Magazine. O mangá, que já está no 24º volume, é bastante popular, perdendo apenas para Naruto (apesar de estar chegando perto) e para o fenômeno One Piece.

O anime começa mostrando Lucy, uma jovem maga que deseja entrar na Fairy Tail, uma das guildas (um tipo de associação de pessoas do mesmo ramo, no caso, magos) mais famosas do reino de Fiore, localizado em um mundo onde a magia é comum e faz parte da vida das pessoas. O mundo é bem no estilo dos cenários medievais dos RPGs eletrônicos japoneses. Os magos das guildas são aventureiros que podem ser contratados para as mais variadas missões. No caminho até a cidade de Magnolia, onde fica a Fairy Tail, Lucy ouve rumores que o Salamander, mago famoso da Fairy Tail, está na cidade e vai atrás dele. Ao mesmo tempo, ela encontra um jovem meio estranho chamado Natsu e seu gato falante chamado Happy. Depois de muita confusão, vemos que o homem que se apresentava como Salamander era um impostor e que o verdadeiro Salamander é o Natsu. Após destruir a cidade enquanto derrotava o impostor, Natsu foge, levando Lucy com ele para a Fairy Tail. Os três se tornam amigos e, a partir daí, o anime mostra as missões que eles cumprem. Como todo bom shounen, isso envolve muita ação, inimigos, rivais e, é claro, novos amigos. Mas além disso, Fairy Tail é um anime que investe muito na comédia.

A magia e os magos no mundo de FT são bastante diferentes dos magos mostrados em outras obras da cultura pop. O mundo é high-fantasy, ou seja, a magia não é nada sutil e é comum vermos magos soltando bolas de fogo e fazendo outras coisas bem exageradas. Além disso, em FT os magos não costumam saber várias magias diferentes. Eles possuem uma ou duas especialidades e todas as técnicas são baseadas nelas. Lembra um pouco as frutas do demônio de One Piece e os stands de JoJo’s Bizarre Adventure. Aliás, esqueçam dos magos fracotes que ficam soltando magia de longe e não conseguem fazer muito sem a magia. Em FT, como em todo shounen do gênero, as coisas se resolvem no braço e as magias são complementos para as habilidades físicas de luta das personagens.

Fairy Tail segue a tendência dos shounen modernos de apresentar vários personagens, no caso, os outros membros da guilda. Felizmente, ao contrário da maioria, o anime não esquece os membros que não são do time principal, e eles sempre aparecem e participam. Claro que nem todos têm "aquela" participação (pelo menos até agora), mas o autor não esquece ninguém e, de quando em quando, um mago que estava só de extra tem uma exposição maior.

Como o anime tem muitas personagens, comentarei só as principais, que formam o time mais forte da guilda. Lucy é uma maga cuja especialidade é invocar espíritos celestiais baseados nas constelações, entre eles os 12 do zodíaco. Estes espíritos, além de lutarem e ajudarem com suas outras habilidades, também são uma fonte de piadas, já que cada um tem uma personalidade diferente e todos são um tanto excêntricos. Lucy adora livros e deseja se tornar uma escritora. Ela é a personagem mais normal e a única que tem bom senso no grupo, sendo a responsável por apontar as maluquices dos outros, cumprindo o papel da pessoa séria nas piadas, na melhor tradição do Manzai (estilo de humor japonês no qual um comediante faz um trocadilho, algo tolo ou estranho, e outro comediante rapidamente aponta o absurdo ou o erro). Lucy é um tanto vaidosa e vive tentando usar sua beleza para ganhar vantagens, mas apesar disso, é muito gentil e sempre luta pelos seus amigos, mesmo sendo a mais fraca do grupo (sem contar com o Happy, que é um gato), já que os outros três são muito fortes.

Natsu Dragneel é chamado de Salamander porque é um mago que domina o fogo. Na verdade ele usa uma magia antiga e quase esquecida, chamada Dragon Slayer, que o permite comer fogo e soltar fogo pelas mãos, pés e, claro, pela boca. Comer o próprio fogo não o satisfaz, no entanto. Natsu é muito forte, mas como todo protagonista shounen, não tem nada na cabeça e fica empolgado quando encontra um adversário forte. Ele vive fazendo besteiras e não tem bom senso, para a tristeza da Lucy que, às vezes, até desiste de fazer o papel de pessoa séria... Uma curiosidade sobre o Natsu é que ele fica enjoado se estiver em QUALQUER veículo. Natsu está em busca de Igneel, um dragão de verdade que cuidou dele quando ele era criança e ensinou magia a ele.


Happy, o gato de Natsu, é a única forma de transporte do mesmo, porque além de falar, ele pode usar uma magia chamada Aera, que lhe dá asas. Happy adora peixes e está sempre acompanhado o Natsu. Ele também é bastante doidinho, fazendo dupla com Natsu em várias piadas. Ele adora implicar com a Lucy e, junto com o Natsu, tem o péssimo hábito de invadir o apartamento dela.

Gray Fullbuster é um mago que usa magias de gelo. Ele e o Natsu (apesar de, no fundo, serem amigos), são rivais e vivem brigando. Gray parece um personagem normal, mostrando bom senso e muitas vezes comentando as loucuras dos outros com a Lucy. Só que ele tem a mania de tirar a roupa em público e faz isso sem perceber, o que gera bastante confusão, principalmente quando ele faz isso na casa da Lucy...

Finalmente temos Erza Scarlet, também chamada de Titania. Titania é o nome da rainha das fadas e Erza tem este apelido por ser considerada a mulher mais forte da guilda, inclusive sendo mais forte que o Natsu e o Gray. Erza é muito rígida e é a única que consegue botar ordem nos desordeiros da FT (especialmente Natsu e Gray), que vivem arranjando confusão e participando de várias brigas de bar dentro da guilda. Ela também é mandona, impaciente e bastante orgulhosa. Apesar disso, ela é extremamente justa, gentil e bondosa, ajudando sempre os seus amigos. Ela também é muito famosa pela sua beleza e elegância, sendo admirada por todos. Por causa de sua força, Natsu a desafia constantemente mas, até agora, nunca conseguiu vencê-la. Ela também costuma invadir a casa da Lucy...

Como dá para ver pelas personagens, FT é um anime que possui bastante comédia, inclusive protagonizada por outras personagens que são tão excêntricas quanto as principais. O anime também capitaliza na beleza das personagens e tem um pouco de fan service, apesar de nunca chegar a apelar, e usa isso mais como fonte de piadas. Aliás, um dos pontos fortes mais importantes em FT são as personagens femininas. O autor escreve algumas das melhores personagens femininas dos animes shounen de ação. Nestes animes, é comum as mulheres ou serem só enfeite, ou serem lutadoras de segunda classe, excetuando-se aqueles que deliberadamente colocam só mulheres lutadoras para atrair o público masculino. Além disso, é comum que as mulheres que lutam sejam “masculinizadas”. O Mashima não faz isso. Em FT, as mulheres são lutadoras do primeiro escalão e não ficam devendo nada aos homens. Mesmo assim, não são transformadas em machonas, continuando bastante femininas. E mesmo quando são às vezes usadas como damas em perigo, outro dos vícios deste tipo de anime, não se mostram indefesas e não dão mole para os vagabundos, ao invés de ficarem esperando os meninos aparecerem para salvá-las.

FT tem uma característica meio estranha: possui duas personagens principais. Quando o anime mostra o cotidiano da guilda, ele segue a Lucy, mas na hora da pancadaria o foco muda para o Natsu. Isso é interessante, porque a Lucy, apesar de lutar sempre, não teria condições de enfrentar o chefão dos arcos, e acompanhar o Natsu fora das lutas ia ser um tanto chato.

Mas apesar da boa comédia e das personagens legais, FT não é um mar de rosas. Em primeiro lugar, as lutas, apesar de até empolgarem, em sua maioria são bem medianas. Raramente há estratégia e é comum que os heróis vençam no esforço final após já ter apanhado sem dó dos inimigos. Isso é verdade principalmente nas lutas do Natsu, o que significa que é o que acontece nas lutas mais importantes. Pelo menos o anime não enrola nas lutas.

Outro defeito é que, apesar de ser divertido, o enredo do anime é bastante previsível e cheio de clichês. Tudo bem que é um shounen de porrada, mas outras séries já provaram que dá, sim, para colocar um pouco de complicação e continuar divertido.

Os temas de abertura costumam ser rockzinhos ou skas alegres, e os de encerramento, músicas mais lentas. A trilha sonora não é excepcional, mas se destaca e é composta prioritariamente por um rock misturado com música clássica e celta, para dar um tom bem de aventura em uma terra medieval. Já a qualidade visual do anime é mediana, não se destacando nem positivamente, nem negativamente. Aliás, há um destaque negativo, sim: o anime não usa o traço original do mangá, que é muito bom.



Fairy Tail é um shounen de ação e aventura padrão. É engraçado e tem personagens cativantes, apesar do enredo simples e das lutas pouco elaboradas. Se você é fã de animes deste gênero, é mais do que recomendado. Se não é mas quer algo divertido para passar o tempo, é só deixar o cérebro descansar e aproveitar a viagem. Fairy Tail é um bom passatempo.


M4rc0 AFRL


Nenhum comentário:

Postar um comentário