sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Bleach Movie 1 (Movie)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 21/05/2010

Alternativos: Bleach the Movie – Memories of Nobody
Ano: 2006
Diretor: Noriyuki Abe
Estúdio: Pierrot
País: Japão
Episódios: 1
Duração: 90 min
Gênero: Ação / Aventura / Shounen



O primeiro longa-metragem de Bleach, chamado ”Bleach - Memories of Nobody“, começa com um alerta da equipe de pesquisas da Soul Society, alegando haver um distúrbio no espaço dimensional do Dangai, algo que deixa todos em estado de emergência. Enquanto isto, em Karakura, Ichigo e Rukia vão fazendo seu trabalho rotineiro, matando Hollows e purificando Plus.

Logo após, Rukia nota algo estranho em seu radar e um alto poder espiritual alerta os dois, que saem correndo para o local. Estranhos seres brancos de cabeça pontuda, como que almas perdidas, aparecem no local. Ichigo e Rukia não sabem como lidar com a situação por não conhecerem o ”inimigo“, mas eis que surge uma guerreira Shinigami também desconhecida que acaba com todos os seres esquisitos. Seu nome é Senna, que após apresentações não muito esclarecedoras, revela-se uma garota bem agitada e alegre, chamando a atenção de Ichigo, que passa a acompanhá-la para descobrir quem é ela realmente. Vamos dar um pulo na história.

Após alguns acontecimentos, sabe-se que Senna é a razão dos Blanks (os seres estranhos mencionados anteriormente) estarem vagando pelo mundo real e que um grupo de guerreiros nobres exilados da Soul Society há mais de 1000 anos, chamados Dark One, a querem para concretizar sua vingança. Felizmente, todos os motivos e razões são explicados no próprio filme de maneira bem esclarecedora pelo nosso grande conhecido Urahara Kisuke.

No decorrer do enredo vemos o bom trabalho que fizeram na personagem central Senna, desenvolvendo-a de maneira cativante, e o fato de ela existir é um mistério que chama a atenção, principalmente ao vermos as atitudes de Ichigo para com ela.


Não se centrando muito nas batalhas (só no final vemos com mais clareza), Memories of Nobody utiliza bastante o lado sentimental. Do início para a metade do anime, a relação de Ichigo e Senna é mostrada como forma de evoluir a personagem principal, onde compreendemos como são suas atitudes e emoções. Isto inclusive causa a sensação de ”perda de tempo“ para muitos que veem o filme apenas para assistir às batalhas, o que seria desnecessário, já que a própria série faz isso até demais.

Mas o filme vale a pena assistir? Os fãs de Bleach irão gostar, mesmo com poucas batalhas? Verdade seja dita, o filme conseguiu se manter firme por causa de existência de Senna, que conseguiu ser mais cativante do que qualquer outra personagem feminina do anime. Sobre a outra pergunta, sinceramente, qualquer apreciador de bons enredos sabe que batalhas são as coisas mais irrelevantes quando o enredo prende de verdade. Foi uma tacada certa para que a história pudesse ter um nível elevado e o nome do anime não caísse chão abaixo, e pudesse agradar os dois lados da moeda.

Muitos personagens dão as caras no filme. Os principais capitães estão lá e Chad, Inoue e Ishida aparecem, mas apenas como personagens de preenchimento de cena (Chad só fala uma frase), até porque os holofotes se concentram essencialmente em Senna e Ichigo. Os próprios vilões não tiveram uma participação muito efetiva. Suas razões não foram muito aprofundadas para não estender demais o filme, e até mesmo pelo fato deles não serem os personagens centrais. Não chegamos sequer a saber os nomes de todos.

A sonoridade ficou bem arranjada e diversificada, com canções simples, sem doses exageradas de açúcar (exceto a música final). A respeito do traço e da animação, nada muito fora do comum para um filme baseado em uma série de TV, ou seja, um pequeno capricho aqui, outro ali e pronto. Há certamente pequenos erros e furos que geralmente passam despercebidos e aos quais pouca importância se dá, como no momento em que o Ichigo ”normal“ sai rolando no chão com Senna e de repente se transforma no Ichigo ”shinigami“ e ainda diz: ”Vá, Kon!“, sendo que Kon ainda estava com Urahara...



A conclusão é que Memories of Nobody é um bom filme, que não decepcionará os fãs de Bleach conscientes de que isto não contribuirá em nada para a progressão da história. Pudemos conhecer uma personagem memorável, de personalidade bem desenvolvida e que, infelizmente (ou felizmente), só serviu para a boa progressão do filme. E percebemos que o imenso universo de Bleach pode render excelentes histórias, mostrando que nem só de batalhas de poderes imensuráveis vive o anime. Um bom entretenimento.


Marcos França


Nenhum comentário:

Postar um comentário