segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Gad Guard (TV)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 01/04/2009


Alternativos: GadGuard
Ano: 2003
Diretor: Hiroshi Nishikiori
Estúdio: Gonzo
País: Japão
Episódios: 26
Duração: 23 min
Gênero: Ação / Drama / Mecha



Gad Guard se passa em um futuro não tão distante, onde os recursos naturais da Terra se esgotaram, o que fez com que o progresso da raça humana fosse freado por algum tempo. Devido a esse problema, o mundo se re-dividiu em unidades, sendo a "Unidade Azul" o palco de nossa história. Esta é dividida em três partes: Gold Town (área onde a parcela da população mais rica se encontra), Day Town (área industrial de classe média) e Night Town (lugar onde os mais pobres e o crime organizado da Unidade se encontram. Recebe esse nome devido à falta de energia elétrica durante período da meia-noite até o amanhecer).

Hajiki Sanada é um garoto que vive em Night Town, onde possui um bico como entregador de uma companhia chamada "Hachisuka Express", cujo objetivo é realizar qualquer tipo de entrega, não importando qual seja o conteúdo.

Um dia, Hajiki recebe o trabalho de transportar um misterioso pacote, que acaba se abrindo depois de um pequeno acidente que o garoto sofreu em sua lambreta. Curioso, ele acaba olhando o que tem dentro e descobre que se trata de uma estranha pedra.

Depois de várias circunstâncias que não devem ser explicadas aqui, Hajiki acaba fazendo com que a pedra se transforme em um Techode (mecha), ao qual dá o nome de "Lightning". Mais tarde, o garoto descobre que a pedra em questão é conhecida como "Gad", um objeto misterioso capaz de mudar de forma e até reagir com os sentimentos e pensamentos de um ser vivo.

Ao perceber que ele não é o único a possuir um Techode originado de um Gad, Hajiki deve descobrir como se relacionar com os outros que, em teoria, deveriam ser parecidos com ele, ao mesmo tempo em que tenta descobrir o que realmente deseja fazer da vida ao lado de Lightning.

Mesmo que, a primeira vista, Gad Guard pareça ser um daqueles animes de robôs-gigantes manjados, com personagens bonitinhos e uma história meia-boca sobre salvar o mundo, não é bem esse o caso.

Mesmo os personagens principais possuindo o mesmo tipo de "poder", cada um pensa diferente e tem sua própria filosofia de vida, o que torna impossível uma "união pela justiça" ou algum clichê do tipo.


Aliás, os personagens são justamente o ponto forte de Gad Guard, desde os principais até os coadjuvantes, todos bem trabalhados e que, ao contrário das primeiras impressões, escapam da maioria dos clichês.

Hajiki não é o garoto super animado, energético e heróico de sempre, mas sim um jovem como qualquer outro, com suas próprias crenças, problemas e indecisões. Takumi, outro usuário de um dos Techodes que parece ser apenas uma espécie de defensor da justiça no início, na verdade tem bons motivos e razões para ter uma atitude tão maniqueísta e firme, chegando até a ficar em dúvida durante a série. Também vale comentar sobre o personagem Katana, um jovem ambíguo e com certeza um dos "antagonistas" mais carismáticos que já tive o prazer de ver em um anime.

Falando em antagonistas, a linha divisória entre bem e mal é bem sutil em Gad Guard. Praticamente nenhum dos personagens é completamente um ou outro, o que evita o maniqueísmo exagerado e tira aquele caráter de "mocinhos contra malvados".

Visualmente, Gad Guard é muito instável. Apesar do início do anime ser bem feito e satisfatório, a qualidade cai muito lá para o meio da série, onde só faltava uma legenda durante os episódios dizendo "desculpe, mas o orçamento está apertado". Chega a ser irritante ver alguns episódios tão bem trabalhados e outros em que o traço dos personagens fica extremamente irregular de uma cena para a outra. Felizmente, a qualidade volta nos momentos finais da série.

O traço é mediano (nada que você já não tenha visto em centenas de animes por aí) e os Techodes chegam a lembrar animes como Mega-Man ou até Astro-Boy. A edição é um tanto mal feita em certos momentos, tendo transições de cenas e músicas muito bruscas aqui e ali, o que ás vezes pode destruir o clima.

Quanto às músicas, devo dizer que Gad Guard traz uma trilha sonora jazzística interessante, sendo todas as músicas do anime orquestradas, sem nenhum vocal. Mesmo que algumas sejam genéricas e não chamem muito a atenção, outras tem um estilo bem agradável, daquelas que são fáceis de ficar na cabeça (com destaque para a abertura "Boomerang Boogie", do grupo PE`z).

O maior problema de Gad Guard está justamente em sua narrativa e continuidade. A maioria dos episódios são voltados a uma história diferente sem quase nenhuma relação com a anterior. Chega até a causar uma dúvida se Gad Guard realmente tem um enredo sólido ou se é um anime "slice-of-life". Não que isso seja um grande problema, mas alguns episódios conseguem ser muito interessantes ou engraçados, enquanto outros são simplesmente chatos e enjoativos (o que pode acabar desanimando alguns). A partir do episódio 16, porém, a história começa a tomar um rumo mais concreto e, diga-se de passagem, se torna extremamente interessante.



Gad Guard é o tipo de anime capaz de causar opiniões bem divididas. Alguns vão gostar de sua fórmula um pouco mais "solta" e descompromissada inicial (e de quebra irão se interessar ainda mais nos momentos finais), enquanto outros vão se desanimar e desistir no meio do caminho. Mesmo assim, Gad Guard é um anime que consegue fugir da maioria dos estereótipos encontrados em animes do gênero, com um enredo que fala sobre a contradição dos pensamentos e sentimentos humanos, como pode ser doloroso ser obrigado a encará-los de frente e da responsabilidade que se tem de acarretar pelos seus atos e escolhas. Vale a pena uma conferida =).


Lucas Funchal


Nenhum comentário:

Postar um comentário