sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Maetel Legend (OVA)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 24/01/2012

Ano: 2000
Diretor: Kazuyoshi Yokota
Estúdio: Vega Entertainment
País: Japão
Episódios: 2
Duração: 45 min
Gênero: Drama / Sci-Fi



Devido à problemas gravitacionais, o planeta Metalle foi desviado muitos quilômetros de sua rota, lançando o planeta para longe do seu sol original, numa densa escuridão distante e fria. O que parecia ser um problema isolado de sua população, acaba trazendo terríveis consequências para toda a galáxia...

Distribuido por Avex Mode, Maetel Legend é mais um filme baseado nas obras de Leiji Matsumoto e seus inesquecíveis personagens. Desta vez, Matsumoto nos leva a conhecer o passado das irmãs Maetel e Emeraldas e a rainha Prometium, mãe delas, e o que aconteceu para tornarem-se o que são.

Depois de muitos anos, o sol artificial criado para aquecer adequadamente o planeta Metalle começa a se apagar, condenando os seus habitantes a uma vida sofrida e dura conforme o planeta vai se tornando cada vez mais frio e inabitável. Para evitar a iminente extinção, a rainha Prometium decide passar pela cirurgia de mecanização, sob as orientações do famoso cientista mecanizado HardGear, para permitir que seus frágeis corpos humanos consigam sobreviver para sempre, sem sentir fome ou frio, através da completa mecanização de seus corpos. Entretanto, as princesas Maetel e Emeraldas não estão convencidas das vantagens reais desse processo, temendo que tudo isso não passe de um golpe de estado capaz de destruir toda a sua civilização.

Apesar da história realmente interessante, o mesmo não pode ser dito dos fatores técnicos do anime, pois este certamente deve ter passado por pesados cortes de orçamento na sua produção e deixou um trabalho visual frustrante.

A movimentação dos elementos na tela é muito ruim, com poucos quadros de animação; Sequências animadas de baixa qualidade; Intensa reciclagem e repetição de cenas e cenários; Fraco detalhamento de personagens e cenários; Colorido blasé e com poucos contrastes, mais parecendo um anime barato da década de 80; Enfim, ficaria um longo período aqui descrevendo a parte técnica quando eu poderia resumir tudo em uma palavra: RUIM!


Sonoramente, o anime não se sai muito melhor, com sons e músicas decorativas, com destaque apenas para a música de encerramento. Felizmente, o eixo enredo-história se sai bem melhor do que os fatores tecnicos da produção.

Como já citado, Maetel Legend conta os princípios da eterna guerra dos humanos contra as máquinas. Isso por sí só já vale o ingresso, pois responde muitas perguntas relevantes nas produções cronologicamente posteriores, como Galaxy Express 999. As irmãs Maetel e Emeraldas estão muito bem no filme, com suas respectivas personalidades se completando perfeitamente na trama. De certa forma, toda a trama de personagens parece bem amarrada: mesmo que alguns sejam bem secundários, acabam desempenhando alguma função relevante em algum momento.

Entretanto, o script poderia ser melhor condensado, pois a repetição insistente de determinadas cenas, como a HardGear bebendo uma taça de “vinho”, acabam atrapalhando o andamento da história. Algumas perguntas, como de costume, também ficam sem resposta, e muitos detalhes passam batidos, desde situações não explicadas até um erro claro de roteiro logo no final do primeiro OVA – seria um spoiler comentar.



O final é muito bom e se encaixa perfeitamente ao resto da saga. Uma grande pena é a parte técnica tão ruim, que arranhou muito a pintura do filme que, mesmo com os buracos no roteiro, tinha tudo para ter uma produção grandiosa e primorosa. Mas não foi bem isso que aconteceu, pois no final das contas, Maetel Legend vale pela sua história, e só.


Emanuel Silva Sena


Nenhum comentário:

Postar um comentário