sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Marcos França


Algo chamava a minha atenção nas animações japonesas desde os sagrados anos 90. Eu não entendia na época a razão de me sentir tão feliz vendo Dragon Ball, Cavaleiros do Zodíaco, Street Fighter 2 V e também aqueles do novo milênio, como Digimon, Bucky, Tenchi Muyo. E, na verdade, pouco me importava a razão de preferir anime ao invés de cartoons. O fato é que aquilo me empolgava muito.

Hoje compreendo que isso se deve a toda estética e narratividade características desse tipo de animação. A jornada do herói sempre foi muito algo evidente nos animes, e aquela sensação de que "eu preciso continuar vendo os episódios pra saber como isso acaba" sempre me chamou a atenção. Mais importante ainda: o ato de acabar, ter um fim na própria narrativa (e não acabar de vez, do nada), era o que mais importava pra mim.

Daí lembro do dia em que me ofereci despretensiosamente pra colaborar com as resenhas do Animehaus. Eu queria expressar minha opinião e fazer as pessoas lerem, discutirem, discordarem. Isso também é empolgante! Mas o Animehaus iria acabar poucos anos mais tarde. Não tendo um fim na própria narrativa. Acabando de vez, do nada...

Até que o Animehaus voltou! Voltou pra continuar de onde parou, pra seguir com a sua jornada. E que, assim como animes, mangás e tudo na vida, um dia vai ter um fim na própria narrativa, de fato. Mas que essa narrativa seja muito mais longa do que um One Piece ou Berserk da vida!


TOP 10

1. Death Note
 
2. One Punch Man
 
3. Attack on Titan
 
4. Stein's Gate
 
5. Samurai Champloo
 
6. Perfect Blue
 
7. Claymore
 
8. Monster
 
9. G.T.O. Great Teacher Onizuka
 
10. Giant Killing
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário