quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Moshidora (TV)

Alternativos: Moshi Koukou Yakyuu no Joshi Manager ga Drucker no “Management” o Yondara
Ano: 2011
Diretor: Takayuki Hamana
Estúdio: Production I.G
País: Japão
Episódios: 10
Duração: 25 min
Gênero: Drama / Esporte



Antes de começar a resenha de Moshi Koukou Yakyuu no Joshi Manager ga Drucker no “Management” o Yondara (E se uma gerente de um time de beisebol colegial lesse “Management”, de Drucker?), ou Moshidora para abreviar, é necessário esclarecer umas coisas sobre os clubes de esporte nas escolas do Japão.

Por lá, os alunos vão à escola de manhã, almoçam por lá e vão embora de tarde. Só que existem por lá os clubes de atividades, nos quais os alunos com interesses comuns se reúnem. Estes clubes, cujas atividades acontecem após a aula, podem ter qualquer tema como, por exemplo, música, jogos como xadrez, artes, ciência, hobbies como anime e mangá e, por último mas não menos importante, esportes. Cada clube tem um professor responsável e recebe da escola uma sala e uma verba para as atividades e para comprar os equipamentos necessários para as atividades. Os próprios alunos são responsáveis por administrar esta verba, sempre com a supervisão do professor. Por isso, os clubes costumam ter uma estrutura administrativa, como se fosse uma chapa de conselho estudantil, com presidente, tesoureiro e por aí vai, sendo estes alunos responsáveis pela adminstração do clube e pelo planejamento das atividades.

Pois bem, nos clubes de esportes coletivos, as coisas são um pouco diferentes. O professor responsável costuma atuar como técnico e, entre os alunos do time da escola, são escolhidos os membros do clube. É comum, pelo menos nos animes e mangás, que estes clubes não possuam uma estrutura administrativa igual à dos outros clubes. Eu acredito que isso ocorre porque estar ou não no time principal é questão de desempenho, e a qualquer momento alguém pode sair do time. Por isso, é comum nestes times a figura do "manager". O "manager" cuida da administração do clube e das tarefas diárias, como organizar os equipamentos e anotar o desempenho de cada atleta, enquanto os membros do clube se dedicam aos treinos e o treinador às táticas.


Nos animes e mangás sobre times masculinos, é comum que o "manager" seja uma menina. Tão comum que já até virou um clichê do gênero. Moshidora começa mostrando Minami Kawashima, jovem que odeia beisebol, mas que acaba virando a "manager" do time de beisebol de sua escola. Minami aceita o trabalho porque sua amiga Yuki Hirata, "manager" do time, é hospitalizada com uma doença grave e pede a Minami que gerencie o time enquanto se recupera. Minami, que nunca havia gerenciado um time, vai a uma livraria procurar um livro sobre o assunto e acaba comprando o “Management”, de Peter Drucker, considerado por muitos a bíblia da administração de empresas. O anime então acompanha Minami enquanto ela usa os princípios da administração descritos no livro para melhorar o time de beisebol da escola e levá-lo ao Koshien, estádio onde acontece o campeonato nacional de beisebol colegial.

Este anime é um pouco diferente dos convencionais. Em primeiro lugar, por adaptar um livro cujo objetivo era ensinar os princípios da administração de uma forma mais divertida, da mesma forma que aqueles quadrinhos que ensinam física e outras matérias que saíram aqui no Brasil. Tanto que o anime passou no NHK, rede de TV pública do Japão. E em segundo lugar, por ter sido exibido em 10 dias úteis seguidos, ao invés do tradicional formato de um episódio por semana.

Quanto aos personagens, a maioria tem pouco destaque, com apenas a Minami, a Yuki e mais uns 3 tendo destaque. E mesmo estes não brilham na trama, que aliás passa boa parte do tempo servindo mais como base para mostrar os conceitos da administração, apesar de, perto do fim da série, se voltar mais para o drama dos personagens.

A qualidade técnica da série não é boa. A animação é fraca e imperfeições nos personagens são constantes. Com certeza isso é resultado do modo pouco usual de exibição, já que não havia o espaço de uma semana entre episódios. A trilha sonora cumpre o seu papel sem destaques, com o mesmo ocorrendo para os temas de abertura e encerramento.

Moshidora foi muito criticado pelos fãs de animes de esportes, mas acredito que isso é resultado de expectativas erradas a respeito do anime. Moshidora NÃO é um anime de beisebol. É um anime dedicado a mostrar os princípios da administração do Drucker usando como exemplo um time de beisebol. Claro que, no meio disso, muita coisa de beisebol é mostrada, mas não é esse o foco. Só que o anime também não é simplesmente uma aula disfarçada, possuindo sua dose de drama de esportes que começa a aparecer lá pelo episódio 7, quando os conceitos já foram todos apresentados e está na hora de ver os resultados do time.



Moshidora é um anime recomendado para todos que queiram pelo menos conhecer os princípios básicos da administração. Inclusive os que, da mesma forma que eu, não gostam de beisebol. Fãs de animes de esporte que eventualmente forem assistir Moshidora devem manter em mente que o esporte não é o foco principal do anime, para assim poderem apreciar (ou não) o anime pelo que ele é. Os que não gostam de esportes e não se interessam pela gerência provavelmente fazem melhor procurando outro anime.


M4rc0 AFRL



Nenhum comentário:

Postar um comentário