segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Noblesse (OVA)

Alternativos: Nobeulleseu
Ano: 2015
Diretor: Kenichi Matsuzawa
Estúdio: Production I.G.
País: Coreia do Sul / Japão
Episódios: 2
Duração: 40 min
Gênero: Ação / Comédia / Vida Escolar / Sobrenatural



Excelente manhwa escrito por Son Jae-Ho e Lee Gwang-Su, iniciado em 2007 e ainda em andamento (atualmente no sexto volume, com quase 450 capítulos escritos). A surpreendente popularidade de Noblesse culminou com a produção em 2015, pela Production I.G, de 2 OVAs com 40min cada que, infelizmente, mostram apenas o início dessa sangrenta história.

O manhwa discorre em torno da figura de Cadis Etrama Di Raizel, Rai para os íntimos. A trama não dá nomes exatos, mas sabe-se que se iniciou em algum lugar da Europa pelos menos 8 séculos atrás, e move-se para a Coreia dos dias atuais. A repetidíssima história da eterna luta entre vampiros e lobisomens é contada mais uma vez.

Quem acompanha o manhwa sabe que o enredo é bastante profundo, com personagens totalmente intrigantes, que fogem ao clichê das balas de prata e alho. Começando pelo próprio Rai: nenhum dos OVAs explica com detalhes sua história, então vou contar uma parte baseada no manhwa. Rai é um vampiro, mas não um vampiro qualquer. Ele é o Noblesse. Fato mostrado nos primeiros minutos da animação. Mas o que é um Noblesse? Se pensou em "nobre", acertou!

Mas Rai não apenas um “nobre”, que é um título de caráter hereditário, passado através de gerações, criando uma série de adultos mimados e privilegiados com algo pelo qual realmente não lutaram para conseguir, um título conseguido sem disputa ou contestação. Mas não vou me ater muito a esse detalhe, ou vou acabar entregando umas das melhores partes do manhwa.

Ao Noblesse foi concedido o poder ancestral de controlar todos os seres com sangue místico e suas sub-raças apenas com o dom das palavras. Sua força física e psíquica são absurdas, todo esse poder esta trancafiado num corpo de aparência adolescente que não muda durante os séculos. Mas se ele é um vampiro, o que isso teria de anormal? Nada, se não fosse o fato de que enquanto os outros vampiros envelhecem de forma retardada, ele simplesmente não envelhece. Permanecendo com sua jovem e pálida aparência, em seus quase 1000 anos de vida. Isso me lembrou vagamente o filme “Entrevista com um Vampiro” onde a jovenzinha, transformada em tenra idade, não envelhece. Referências? -vai saber! - continuando...


Respeitado e temido, ele é o guardião do equilíbrio entre humanos e bestas. Nunca intervindo no mundo dos humanos, seu dever é manter vampiros desgarrados sob controle e subjugar outros Clãs quando necessário. Um poder assombroso quando liberado, mas que cobra um preço alto do seu usuário, alto demais até mesmo para um vampiro imortal.

O primeiro OVA, intitulado “The Destruction Begins”, conta a história de Muzaka e Ashleen. Muzaka é o Senhor dos Lobisomens, e Ashleen é uma garotinha que aparentemente cruzou seu caminho durante suas viagens e acabou sendo salva da morte por ele. Uma ligação misteriosa até quase o final do primeiro OVA. Mas, infelizmente, a paz parece não ser o forte entre vampiros e lobisomens, principalmente quando os humanos resolvem entrar no meio em sua cega e eterna luta por poder. Batalhas extremamente dolorosas estão por vir, e dão a deixa para a continuação, nomeada de “Awakening”.

Awakening conta uma história 100% diferente. Em tempos atuais, Rai foi acordado de seu sono, 820 anos depois para ser exata. Mas com que motivo? Por quem? É algo que nem mesmo Frankenstein e os andróides sabem. Frankenstein? Andróides? Calma! Sua cabeça vai enrolar mais ainda no decorrer da historia. Muitos personagens intrigantes vão surgir, apanhar e espirrar sangue até pelos olhos antes do encerramento.

Com doses improváveis de humor para quebrar o excesso de sangue produzido, os OVAs oferecem uma diversão assustadora e cativante ao mesmo tempo. São uma cópia muito fiel da primeira edição do manhwa, mas existe um detalhezinho a ser comentado: “The Destruction Begins” funciona como um predecessor, apesar de no manhwa essa história ser contada bem à frente.

Pessoalmente, esperava mais da Production IG: afinal, já patrocinaram grandes obras da animação. E Noblesse, apesar de muito fiel aos traços, merecia mais. Principalmente o primeiro OVA: posso compará-lo facilmente a animes baixa renda, mas houve uma melhora bem acentuada no segundo especial. Economizaram muito na sua produção. Isso é ruim? Não. Mas ele não chega aos pés das obras já produzidas pela Production I.G.



Curtíssimo, sem divulgação, pouco explorado, trilha sonora fraquinha mas efetiva. Recomendado para quem gosta de lutas épicas e uma boa história. Mas ainda estou aguardando ansiosa obras baseada nos manhwas de The Breaker e Wolf Guy.


Cátia Nunes



3 comentários:

  1. Putz!!....realmente nem sabia da existência desse ova.
    Curti o review!
    Muito obrigado ao animehaus por voltar!!!!

    Keep them coming!!

    ResponderExcluir
  2. Assisti logo que lançaram, muito bom porém poderiam ter continuado.

    ResponderExcluir