segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Xam`d - Lost Memories (TV)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 18/09/2009


Alternativos: Bounem no Xamdou; Bounem no Zamned; Xam`d of the Lost Memories
Ano: 2008
Diretor: Masayuki Miyaji
Estúdio: BONES
País: Japão
Episódios: 26
Duração: 27 min
Gênero: Drama / Fantasia / Guerra



”Xam`d – Lost Memories“ é um anime peculiar e um tanto difícil de se resenhar. Possui qualidades de alto nível ao mesmo tempo em que peca em alguns pontos muito importantes, o que deixa difícil escolher uma nota justa para essa obra, feita pela mesma equipe responsável por ”Eureka Seven“. Aliás, suas peculiaridades já começam com o modo que foi lançado: via ”Playstation Network“, ou seja, a série só podia ser assistida se baixada via essa rede disponível apenas para quem possui um console Playstation, seja ele de mesa ou portátil. Pode se dizer que, se não fosse esse o meio de lançamento escolhido, talvez Xam`d não tivesse tanta popularidade no Japão como tem agora.

Bem, vamos por partes, a começar pela sinopse: Em um mundo fictício, onde existe um conflito entre o Governo do Norte e o Continente Sulista, temos a Ilha Sentan, que é uma zona neutra da guerra onde todos os seus habitantes vivem em paz.

Akiyuki Takehara é um jovem que vive nessa ilha com seus dois melhores amigos, Haru Nishimura e Furuichi Teraoka. Tirando o fato de seus pais estarem passando por um processo de divórcio, tudo corre de maneira normal e pacífica em sua vida, até um dia em que o ônibus com destino à sua escola acaba explodindo. Uma misteriosa luz originada da explosão acaba penetrando o braço de Akiyuki, ao mesmo tempo em que sua escola é atacada por ”armas humanóides“ (uma espécie de ”mecha“ orgânico), pertencentes ao Continente Sulista.

Em meio a todo o caos, Akiyuki se transforma em uma estranha criatura branca e, depois de vários acontecimentos, acaba sendo salvo de se transformar em pedra por uma misteriosa mulher de cabelos vermelhos, chamada Nakiami, que acaba acolhendo-o em sua moradia (no caso, uma nave postal).

Mais tarde, Akiyuki descobre que o nome da criatura em que se transformou chama-se ”Xam`d“, e agora ele deve aprender a viver como tal. Com a ajuda de Nakiami e de toda a tripulação da nave postal, Akiyuki começa uma jornada por todo o mundo fora da ilha, ao mesmo tempo em que se encontra no meio uma sinistra guerra e tenta entender qual seria a conexão entre ele e a forma de vida conhecida como ”Xam`d“.

Quem era a garota de cabelos brancos? Qual o motivo da guerra entre Sul e Norte? O que exatamente é o povo Tessik, ao qual Nakiami pertence? Por que os Xam`ds existem?

Essas e outras perguntas, mesmo que algumas sejam necessárias para se situar no mundo onde o enredo se passa, ficarão muitas vezes como incógnitas durante a série inteira.


Acontece que o maior pecado de Xam`d é justamente na apresentação do enredo. Tudo na história é muito subjetivo, sendo necessária uma certa atenção para com algumas citações e detalhes para compreender exatamente o que está acontecendo. A história não chega a ser super complexa ou difícil de entender, mas os detalhes e dicas mais importantes simplesmente não são apresentados como deveriam, o que pode deixar os espectadores com uma cara de interrogação constante durante os episódios.

Além disso, o desenvolvimento da história chega a ser um pouco enjoativo, com episódios muito inspirados misturados com outros que parecem servir para se aprofundar e conhecer melhor cada um dos personagens. Não que episódios assim sejam ruins, mas as relações entre os personagens e suas personalidades parecem tomar tanto tempo da série que o desenvolvimento da história em si fica meio atrasado. Não serão poucas as vezes em que o espectador vai parar pra pensar ”Tá... Mas aonde é que esse anime quer chegar?“. Felizmente, esse problema é resolvido durante os episódios finais, com um clímax e finalização no mínimo ótimos.

Mesmo com contratempos graves como esse, Xam`d acerta em cheio em muitos outros pontos considerados necessários para que um anime seja considerado bom.

Os personagens são ótimos, com um elenco muito memorável. Cada um dos personagens tem uma personalidade bem trabalhada e suas próprias crenças, motivações e temores. Todas as decisões tomadas por eles sempre condizem com seu jeito de ser, além de ser possível notar uma evolução em seus respectivos caráteres do início ao fim da série, o que a torna muito convincente neste aspecto. Além de Akiyuki, Haru e Nakiami (de longe, os melhores do anime inteiro), temos também o ambíguo e perigoso comandante do exército do Governo do Norte, Tojiro Kakisu; a capitã durona da nave postal, Ishuu Benikawa e toda a sua carismática tripulação; o garotinho tessik forte e determinado, Yango; e por aí vai...

O visual está simplesmente excelente, com uma animação muito fluída e movimentada, além de um traço muito bem feito (do mesmo artista de Eureka Seven), que faz com que os personagens sejam muito expressivos e nada exagerados, além de muito diferenciados esteticamente (aqui você não vai ter aquele problema de confundir um personagem com o outro por serem parecidos).

Quanto às músicas, devo dizer que fazia tempo que não ouvia uma trilha sonora tão sólida quanto a de Xam`d. A abertura ”Shut up and Explode“ (Boom Boom Satellites) é ótima e o encerramento ”Vacancy“ (Kylee) combina perfeitamente com a série. As músicas de fundo fazem muito bem seu trabalho, criando o clima necessário para determinado momento, sendo ele épico, dramático ou cômico.



No geral, Xam`d – Lost Memories é uma série difícil de se resenhar justamente por pecar na apresentação de seu enredo, muito subjetivo até nos detalhes mais essenciais para que o espectador possa se situar no mundo do anime. Mas, devido a seus episódios finais, ótimos personagens e qualidades técnicas impecáveis, Xam`d consegue ultrapassar a linha entre mediano e acima da média. O estúdio BONES conseguiu nos entregar mais uma boa obra, porém ela poderia ter sido muito melhor. 


Lucas Funchal


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário