terça-feira, 20 de dezembro de 2016

My Sister Momoko (Movie)

Alternativos: Momoko, Kaeru no Uta ga Kikoeru yo
Ano: 2003
Diretor: Setsuko Shibuichi
Estúdio: Magic Bus
País: Japão
Episódios: 1
Duração: 80 min
Gênero: Drama



Em seu perfil aqui mesmo no Animehaus, o M4rc0 AFRL falou algo com o qual concordo, apesar de ter uma dificuldade tremenda para colocar isto em prática. Usando as próprias palavras dele: "A obra cumpre o que promete se fizer o que ela veio para fazer e se fizer isto bem feito. Se um anime de ação tem muita ação bem feita, ele fez o que tinha que fazer e o que vier a mais é lucro". No meu caso, por exemplo, evito ao máximo pegar aqueles "shounen" bem "shounen" mesmo, tipo DBZ ou Cavaleiros do Zodíaco, pois tenho certeza que não conseguirei dissociar meu gosto pessoal da qualidade inerente às obras.

Comecei o texto dizendo isto porque, pela 1ª vez em muito tempo, estou resenhando um anime em que realmente preciso avaliar sua qualidade como obra audiovisual, mas ter o bom senso de dissociá-la da forma como cumpre sua verdadeira proposta. "My Sister Momoko" não é exatamente um anime brilhante em nenhum aspecto, mas possui um tema importante e passa sua mensagem de forma eficiente e sincera, especialmente ao seu público-alvo.

Dois irmãos gêmeos nascem de um parto complicado e prematuro. Por terem vindo ao mundo dois meses antes do previsto, nasceram muito fracos e com a sobrevivência ameaçada. Nestes dias tensos em que não sabia se os filhos sobreviveriam, o pai das crianças vê um pessegueiro florescendo em pleno frio, e inspirado pela força de vontade da árvore, resolve dar aos filhos os nomes Momoko (menina-pêssego) e Riki (força).

As crianças sobrevivem, o futuro parece promissor, mas a partir dos cinco anos de idade, por algum motivo desconhecido, Momoko desenvolve uma doença que torna a musculatura dos membros cada vez mais rígida. Até seus pulmões começaram a enrijecer e, por este motivo, ela precisa usar oxigenação artificial o tempo todo para poder respirar. Por causa disto, Momoko ficou bem menor que o irmão Riki, com a cabeça meio torta para o lado, e os membros extremamente atrofiados. Como a garota também apresenta um pouco de atraso mental, precisou mudar para uma escola especial, o que lhe causou um pouco de tristeza, já que antes ela estudava na mesma sala do irmão, fazendo exatamente as mesmas coisas que ele.


Apesar de tudo, Momoko é uma criança alegre, com muita energia, que não gosta nem um pouco quando outras pessoas tentam ajudá-la a fazer as coisas, e recebe todo o incentivo da família para tentar superar os limites. E sua felicidade aumenta ainda mais ao saber que a política de inclusão social nas escolas permitiu que ela voltasse a estudar no antigo colégio. Mas ainda que sua vida pareça boa, é óbvio para todos que a doença cobra o seu preço: qualquer resfriado pode ser uma ameaça real à vida de Momoko, que precisa passar por internações cada vez mais frequentes, e seu futuro próximo, aos poucos, se torna cada vez mais ameaçado.

"My Sister Momoko" nem parece ter sido feito originalmente para cinema, pois possui uma animação bem simples, inclusive inferior à de muitas séries de TV de maior orçamento. O desenho de personagens de Setsuko Shibuichi, que é também a diretora deste filme, é muito agradável e bonitinho, mas extremamente genérico. A trilha sonora, por outro lado, é muito bonita, com alguns temas clássicos mais imponentes, e algumas seções mais baseadas em flautas, com melodias que emocionam.

Akari Hoshi, autora do livro em que este anime é baseado, trabalha em uma escola para crianças com deficiências, e usou esta experiência de vida para escrever livros sobre o assunto, buscando conscientizar o público em geral para a necessidade de tolerência com estas crianças, e sua inclusão no mundo das pessoas ditas "normais". E "My Sister Momoko" cumpre muito bem esta função, mostrando que uma criança com deficiência pode ter uma vida plena e feliz, assim como sua família e as pessoas próximas. Por outro lado, é realista ao mostrar que nem tudo são rosas, que há sofrimento e problemas para todos os envolvidos, em especial a sensação de impotência quando existe algum risco de morte para a criança deficiente.

A história propriamente dita não é muito diferente de muitas coisas que já vimos por aí, e é previsível de dar dó. Dá pra saber desde o início exatamente qual o rumo a história tomará; quais eventos aparentemente banais ao longo da obra voltarão de forma apoteótica próxima ao final; que os antagonistas não são tão maus quanto parecem; que as tragédias serão exploradas de forma piegas e um pouco apelativas, e assim por diante. Além disto, por se tratar de uma obra mais voltada aos jovens, há coisas que parecem mais adequadas a um "shounen", como toda a parte envolvendo uma competição de corrida, com direito a gritos histéricos e tudo o mais.

E aqui entra a questão de analisar a obra de acordo com o que ela se propõe. "My Sister Momoko" pode não ser o mais memorável dos animes, mas é perfeito para o público jovem ao qual se destina. Mostra de forma didática que uma criança deficiente pode não conseguir fazer tudo o que quer, mas sente as coisas como qualquer pessoa. Demonstra ainda a importância da união da família ao longo de todo o processo, para evitar que aconteçam fatos desagradáveis como o divórcio dos pais, o abandono da família por um dos cônjuges, o preconceito por parte de parentes, entre outras coisas.



O texto pode ter passado uma impressão estranha, de que talvez eu não tenha gostado de "My Sister Momoko". Pelo contrário: pode não ser uma obra fantástica, mas é um anime de muito boa qualidade, que diverte e emociona de verdade. E para os jovens, considero um anime obrigatório, especialmente neste mundo louco de hoje em dia, em que o preconceito e a intolerância atingem níveis alarmantes. Aprender a respeitar o diferente é absolutamente fundamental.


Marcelo Reis


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário