segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Ghost Hound (TV)

Alternativos: Shinreigari
Ano: 2007
Estudio: Production I.G
Diretor: Ryutaro Nakamura
País: Japão
Episódios: 22
Duração: 25 min
Gênero: Drama / Horror / Mistério



Ghost Hound. Um daqueles animes antigos de outrora. Bem, não tão velho, mas... não exatamente tão recente.

Enfim, vamos à resenha!

Como sempre, as informações técnicas são cortesia da wikipedia.


VISÃO GERAL

Ghost Hound era um daqueles animes (e ainda é, para muitas pessoas) que tem um monte de idéias profundas, psicológicas e filosóficas. É um anime realista - você não verá nenhum super golpe de artes marciais, nenhum ser pequeno e fofo ao lado dos protagonistas, etc. Nada disto. Com Ghost Hound, na maior parte, você tem uma história de drama típica, tranquila e aconchegante sobre alguns personagens em uma cidade rural do Japão. E é isso. Bem, sem a parte sobrenatural, é claro. Mas quanto à maior parte, é muito pitoresca ... e também estranha. Sim, Ghost Hound é um pouco paradoxal para mim. Portanto, prepare-se para um pouco de confusão sobre esta revisão.


ANÁLISE

Lá atrás (Ghost Hound começou a ser exibido em 2007), quando você queria um anime legal e inteligente - nada de shounens, em sua maioria, rsrs, brincadeira - você ouvia alguns nomes. Serial Experiments Lain era um deles, é claro. Evangelion era um deles. Havia outros, obviamente. E então você ouvia falar sobre Ghost Hound também.

Ghost Hound era um daqueles animes profundos, do tipo que pessoas cultas (e esnobes às vezes!) gostam de discutir com um sorriso pedante. Começa com a história muito curiosa de um garoto que teve sua irmã morta enquanto sofria um seqüestro. Esse cara começa a ter pesadelos e visões onde ele está voando, e ele chega ao ponto onde começa a ter uma OBE (out of body experience) - a sensação de sair do corpo. Quando ele começa a pesquisar por que isso está acontecendo, sua história fica confusa com a história dos dois outros meninos que compõem o grupo principal da série, cada um com seu próprio problema.

Realmente gostei do modo como o show é exposto - como ele começa. Através de alguma lembrança jogada por imagens, somos apresentados às memórias do protagonista, Taro Komori, que não tem idéia de por que ele está experimentando a OBE em primeiro lugar. Os outros dois protagonistas também experimentam isso e, assim, tornam-se amigos relutantes.

Há muita atmosfera. E para mim, isso é ouro. Há um monte de situações que passam um sentimento de que eles vivem em uma cidade rural bem isolada, e isso é incrível. Isso não quer dizer que não há pessoas boas lá - certamente há. Aparentemente, o dono do templo, o médico e alguns outros. Mas há também uma grande parte de algumas coisas obscuras em todos os lugares. E o prato principal? A companhia grande e má. A empresa onde Masayuki Nakajima trabalha, a Japan Bio-Tech, é um exemplo proverbial de uma empresa grande malvada. Sempre que aparece, você não consegue deixar de sentir aquele estranho zumbido de que algo não está bem certo. E na verdade não está, porque parece que a empresa está fazendo alguns experimentos estranhos ...

Há muitos ângulos e personagens e intrigas, e isso é bacana demais. Há o jornalista, o professor, a família infeliz, a infidelidade conjugal, experimentos sombrios, mentiras e tudo o que você pode pedir em uma série que também entra um pouco no território do terror.

E isso torna a série memorável.

O que não é tão bom?

No final, os episódios se tornam um tanto apressados. Muitas perguntas em aberto - Myako é algum tipo de reencarnação da irmã de Taro, por exemplo, ou o que aconteceu com o pai de Makoto? Ou - quem diabos era aquele cara de cabelo verde? (se alguém conseguir descobrir me fale! Rs)

Havia um monte de perguntas sem resposta, e no final eu senti que se tornou uma bagunça. Mas eu não estou julgando toda a experiência como uma bagunça, apenas os episódios finais. Se houvesse um livro - eu não sei se há um, suponho que não - sobre a série, talvez algumas explicações viessem, ou alguma outra série que continuasse a história. Mas como não há, só posso dizer que o final é bem apressado.



No final, de qualquer maneira, Ghost Hound ainda é recomendado, mas só se você tiver a paciência para assistir alguns animes mais lentos - pode ficar muito lento e silencioso às vezes - e se você gosta de dramas psicológicos e surreais (tipo Evangelion, sem os 'robôs gigantes').

Enfim, obrigado por ler e até a próxima resenha.

Pontos positivos:
- Excelente ambiente;
- Grandes personagens;

Pontos negativos:
- Pode tornar-se muito lento em certos pontos;
- Ainda um pouco enigmática às vezes e temos pouca ideia do que o escritor está tentando transmitir;


Rafael Tages


Nenhum comentário:

Postar um comentário