quarta-feira, 5 de abril de 2017

Super Robot Wars OG Divine Wars (TV)

OBS: Resenha publicada originalmente no Animehaus em 01/04/2009 e revisada em 01/2017

Alternativo: Super Robot Wars OG – The Animation, Super Robot Taisen OG: Divine Wars
Ano: 2006
Diretor: Hiroyuki Kakudou
Estúdio: OLM
País: Japão
Episódios: 26
Duração: 25 min aprox
Gênero: Mecha / Guerra/ Sci-Fi



Antes de falar sobre a série animada, devemos contar um pouco da história da linha Super Robot Wars.

Para quem não conhece, Super Robot Wars (ou Super Robot Taisen) é uma tradicional franquia de games de estratégia produzida pela Banpresto, na qual diversos mechas de diversos animes aparecem juntos (por exemplo, você pode jogar com um Gundam lutando lado-a-lado de um Evangelion, e por aí vai).

O primeiro game surgiu em 1991 para Game Boy e a franquia é bem grande (possuindo aproximadamente 50 títulos) e muito bem sucedida no mercado japonês. Mas, infelizmente, não possui o mesmo sucesso externo: Apenas 5 jogos foram lançados oficialmente fora da terra do sol nascente.

Desses jogos, a única “linha” que saiu do Japão foi à série Original Generation, onde todas as máquinas (e personagens) do jogo são exclusivas da Banpresto. Foram, respectivamente, dois jogos para Game Boy Advanced, um para Nintendo DS e dois para PS2 (sendo que um deles é remake do 1°).

Mas o sucesso da linha Original Generation foi tão grande, que foi produzida uma série animada sobre o primeiro jogo da série. E é sobre essa série animada que falaremos agora.

A série conta a história de Ryuusei Date, um jovem jogador de vídeo games, completamente viciado em um simulador de lutas entre robôs conhecido como Burning PT. Mas apesar de seu vício nesse jogo, ele se mostra um garoto dedicado, sempre preocupado com sua mãe doente, chegando até mesmo a cogitar parar de estudar para poder trabalhar e ajudá-la.

Mas, voltando ao contexto principal, o garoto é tão bom que entra para o torneio local de Burning PTs e lá o seu destino é mudado para sempre...

Depois das finais, a arena é atacada por robôs muito diferentes das unidades utilizadas pelos militares, os Personal Troopers (ou simplesmente PTs). E, no pânico da fuga, a amiga de Ryuusei, Kusuha, fica presa em meio aos escombros de parte da arena.

Quando tudo parecia perdido, o major Ingram Pliskin, percebendo que nosso herói tem aptidões inatas para pilotar, envia um PT para a área onde se encontra o jovem. Sem entender o que esta acontecendo, mas percebendo a necessidade, Ryuusei entra no cockpit do PT e decide lutar contra o inimigo.

Podemos dizer que Super Robot Wars OG não é, nem de perto, uma série que veio para marcar época, mesmo porque não parece que foi essa a intenção de seus criadores, servindo mais como uma grande propaganda para os jogos e colecionáveis, já que o game aborda melhor a história de diversos personagens e outros temas e ainda existe uma continuação.

Os personagens possuem uma história tão profunda quanto um pires invertido, muitos são tão carismáticos que você nem lembra de sua existência. Alguns ensaiam uma grande participação na série e não passam de coadjuvantes de segunda, enquanto outros aparecem do nada e acabam se tornando personagens importantes para o desenvolvimento da história. Sem falar em alguns que aparecem como grandes vilões e, do nada, nunca mais são vistos...

Mas o fato indiscutível é que a série é dedicada mesmo aos robôs. Em um determinado ponto do anime, fica claro que a intenção não é contar uma boa história, mas sim fazer um grande desfile de robôs e naves, de tão numerosos e diferentes que são, enquanto os personagens ficam em segundo plano. Chega a ser cansativo ver um bando de robôs lutando, e você nem lembra mais porque estão ali!

O roteiro é totalmente previsível e cheio de enormes buracos. Além disso, possui todos os clichês de uma série de mecha tradicional, desde o garoto que nunca encostou em uma máquina sair pilotando como se fosse um profissional, até o combate contra um povo alienígena que quer dominar a Terra. Isso passando pelo tradicional piloto rival, por união de robôs em um maior e mais forte (conhecido como Metabot, bem no estilo de Power Rangers e outros Super Sentais), entre tantos outros. Para quem não gosta disso, está aí um enorme ponto negativo (eu gosto, acho que um clichê bem utilizado é sempre uma boa pedida).

Mas nem tudo são espinhos, não. A série é muito bonita de se ver, tendo um design de robôs e naves em 3D que é satisfatório, deixando sua movimentação bem real.. E o dos personagens não fica atrás, são todos bem coloridos e bem únicos, tornando-se quase impossível confundir uns com os outros (reservadas apenas algumas pequenas exceções). Mas, lembrando, são tão profundos quanto um pires de cabeça pra baixo...

As músicas da série são bem produzidas e bem legais, tanto as de abertura quanto as de encerramento e as do decorrer da série também (Break Out, a primeira opening do anime, é fabulosa, deixa você até mais animado pra ver).

E, apesar de ser 100% previsível, Super Robot Wars OG é divertido de se ver. Tem muitos momentos engraçados, outros tensos e muitos heróicos. Mas já adiantando, muitos podem ficar extremamente irritados com o final da série. Não que seja um final ruim (muito pelo contrário, o final é a melhor parte da série) mas, sim, porque muitas das histórias desenvolvidas durante a série não são concluídas, sendo desenvolvida apenas a história principal (essa sim é desenvolvida até onde pôde).

Como foi dito, o final da série é bom (pra quem gosta de grandes epílogos, como eu, vai agradar) deixando o destino de cada personagem bem explicado (na medida do possível). E a batalha final é extremamente heróica e cheia de efeitos especiais.



Resumindo: a série não é ruim, mas está longe de ser boa. Com 26 episódios, poderiam ter desenvolvido uma trama bem melhor (mesmo sendo uma adaptação), Mas se você for fã do estilo mecha (não confunda fã de mecha com fã de Gundam ou fã de Evangelion, são coisas bem diferentes), está aí uma boa pedida. Talvez você goste, nem que seja para passar o tempo...

Obs: Para quem curtiu e quer saber o que acontece depois dos eventos contados no anime, uma continuação foi produzida, chamada Super Robot Wars Original Generation: The Inspector. E ainda tem o Super Robot Wars Original Generation: The Animation que vem AINDA DEPOIS.


Luiz Otávio Gouvêa


Nenhum comentário:

Postar um comentário