sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Saint Seiya: The Lost Canvas - Myth of Hades (OVA)

Alternativos: Os Cavaleiros do Zodíaco - The Lost Canvas: A Saga de Hades, Saint Seiya: The Lost Canvas - Meiou Shinwa
Ano: 2009
Diretor: Osamu Nabeshima
Estúdio: TMS Entertainment
País: Japão
Episódios: 13
Duração: 30 min
Gênero: Ação / Fantasia



Em 2006, Masami Kurumada, o autor de Saint Seiya, vulgo Cavaleiros do Zodíaco, decidiu escrever um mangá no qual conta a história da guerra santa de Atena contra Hades que aconteceu no século 18, ou seja, a guerra santa anterior à mostrada no mangá original. Ao mesmo tempo, ele chamou uma jovem mangaka chamada Shiori Tesurogi para que ela desenhasse uma versão alternativa da mesma guerra santa. Desde então, existem os mangás "Saint Seiya: The Next Dimension", escrito e desenhado num ritmo inconstante pelo próprio Kurumada, e o "Saint Seiya: The Lost Canvas – Meiou Shinwa", feito pela Shiori e lançado semanalmente na revista Weekly Shounen Champion, estando atualmente no seu 19º volume. Este último foi adaptado em um OVA de 13 episódios, que será resenhado a seguir.

Como escrito acima, o mangá conta a história de guerra santa de Atena, deusa da guerra, contra Hades, deus do mundo dos mortos. O foco da história é no trio de protagonistas, formado por Tenma, o Cavaleiro de Pégaso que possui uma ligação com Hades desde a era mitológica; Alone, o humano escolhido para receber a alma de Hades; e Sasha, a reencarnação de Atena. O anime começa mostrando Tenma e Alone dois anos antes da guerra começar, quando moravam juntos no mesmo orfanato. Alone era um menino bondoso que sonhava em ser pintor e era maltratado pelos meninos da cidade onde morava. Nestes momentos, era protegido por Tenma, que sempre foi muito forte, apesar de malcriado. Ao tentar desviar o curso de um rio para salvar seus amigos do orfanato durante uma enchente, Tenma desenvolve o seu cosmo e chama a atenção do Cavaleiro de Ouro Dokho de Libra. Impressionado com a habilidade do garoto, Dokho o leva para o Santuário, sede dos Cavaleiros, para treiná-lo para ser um Cavaleiro do Zodíaco (Santo de Atena, no original). Antes de ir embora, Tenma promete a Alone que voltará assim que terminar o treinamento, e Alone promete que até lá terá se tornado um grande pintor. O que eles não esperavam era que, neste meio tempo, os servos de Hades aparecessem e levassem Alone para uma catedral isolada, onde ele é possuído por Hades. Dá para perceber que o reencontro dos dois amigos não será como eles desejavam. E Tenma precisará derrotar o exército de Hades, ao mesmo tempo em que procura uma forma de trazer o seu amigo de volta.


O anime é muito competente na parte técnica. A animação é boa na maior parte do tempo e os efeitos dos golpes estão bem legais. A trilha sonora é composta por música orquestrada e dá o tom certo para as cenas, apesar de não se destacar. A lenta música de encerramento, chamada Hana no Kusari, também é competente, mas também não chama a atenção. Já a abertura, Realm of Athena, tem uma levada mais techno, apesar de não ser muito agitada. O que mais chama a atenção a meu ver é a letra em inglês que não faz muito sentido. É como se os caras tivessem pegado várias palavras aleatoriamente e tentado juntar tudo de uma forma que fizesse sentido. A dublagem também é boa. O anime preserva o traço da Shiori, que é muito agradável aos olhos.

Entre as personagens, além de Tenma e Alone, destacam-se Yato de Unicórnio, Cavaleiro de Bronze que tem uma rivalidade com Tenma; Yuzuriha, guerreira que mora em Jamir com o ancião que conserta as armaduras e acaba se juntando a Tenma e Yato; Pandora, serva fiel de Hades; Kagaho de Benu, Espectro (análogo do Cavaleiro no exército de Hades) muito poderoso e violento; e os Cavaleiros de Ouro Dokho de Libra e Shion de Áries, que no anime original são os dois únicos sobreviventes desta guerra santa, apesar de não sabermos se em Lost Canvas eles sobreviverão, já que é uma versão alternativa.

O anime tem um ritmo bom, sem enrolações e nem correrias. Mas o mérito do anime está em pegar a ambientação criativa e interessante que o Kurumada criou e fazer o que o mesmo nunca fez: dar destaque às personagens. A Shiori dá um tratamento digno a todos os Cavaleiros (e a alguns Espectros) que aparecem e acerta ao dar o maior destaque aos de Ouro (obviamente quando não está trabalhando com Tenma). Mesmo os que aparecem pouco têm uma participação importante e que os faz dignos de nota. Inclusive a maioria recebe um curto background para que nos identifiquemos com eles. O drama de Tenma e Sasha (não contarei como ela entra na história para não estragar) também torna as coisas um pouco mais profundas do que o simples "vamos derrotar Hades que é mau e salvar a Terra."



Lost Canvas é um OVA bem feito, baseado em uma franquia de grande sucesso. O anime consegue ser ainda melhor que o original e é recomendado para todos os fãs de animes shounen. Para quem é fã de Saint Seiya, então... É obrigatório. O grande defeito do mesmo é que ele não possui fim. Os 13 OVAs não são suficientes para contar toda a história, que aliás ainda nem acabou no mangá. Felizmente já foi anunciada uma continuação para a série, sem data de lançamento definida no dia em que a resenha foi escrita.


M4rc0 AFRL



Um comentário:

  1. Muito obrigado pelo review, é uma série ótima que foi cortada/interrompida porque os japoneses têm problemas!!

    ResponderExcluir